Queda do consumo abranda pela primeira vez desde maio de 2010

Vítor Gaspar, ministro das Finanças
Vítor Gaspar, ministro das Finanças

O início do ano está a
ser menos duro para a atividade económica e o consumo. Segundo os
indicadores de conjuntura do Banco de Portugal, janeiro e fevereiro
registaram uma desaceleração do ritmo de contração.

No mês passado, o indicador coincidente da atividade caiu 2,3%, depois de um recuo de 2,7% em janeiro e 3% em dezembro. Este último valor é um dos mais baixos de sempre e seguia uma tendência de degradação quase ininterrupta desde Junho de 2010.

O indicador junta, não só dados de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), como produção industrial, dados do mercado de trabalho, inquéritos aos consumidores e dados de compra de material para construção.

Quanto ao consumo, há também uma redução do ritmo de queda, a primeira desde maio de 2010 que, ainda assim, foi de 5,4%, o segundo valor mais elevado desde 1978.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
epa05492274 A handout picture provided by Intel Corp. on 17 August 2016 shows Intel CEO Brian Krzanich (L) and Technical Marketing Engineer Craig Raymond (R) demonstrating the Project Alloy virtual reality headset during a presentation at the Intel Developer Forum in San Francisco, California, USA, 16 August 2016.  EPA/INTEL CORPORATION/HANDOUT  HANDOUT EDITORIAL USE ONLY/NO SALES

Project Alloy. Não é realidade virtual, é realidade misturada

Catarina Martins diz que 2017 será o ano do "combate às rendas, na saúde e como na energia".

Catarina Martins: “Nenhum passo atrás e nenhuma transigência”

Rui Freire conta com experiência na Microsoft, grupo Havas e Global Media Group. Fotografia: DR

Rui Freire passa da Microsoft para o grupo Omnicom

Reabilitação urbana a crescer

Reabilitação urbana volta a crescer em julho

Fotografia: REUTERS/ Lucy Nicholson

Estes são os atores mais bem pagos do mundo, segundo a Forbes

arranjar emprego

Gig economy. A nova moda do mercado laboral não serve a Portugal

Conteúdo Patrocinado
Queda do consumo abranda pela primeira vez desde maio de 2010