banco central europeu

Rajoy confirma candidatura de Espanha à vice-presidência do BCE

Grécia evita incumprimento junto do Banco Central Europeu
Grécia evita incumprimento junto do Banco Central Europeu

O presidente do Governo espanhol não adiantou se irá avançar com o nome do ministro da Economia, Luis de Guindos, para o cargo.

O presidente do Governo espanhol confirmou esta sexta-feira que Espanha vai apresentar candidatura à vice-presidência do Banco Central Europeu (BCE), mas não adiantou se irá avançar com o nome do ministro da Economia, Luis de Guindos, para o cargo.

Na conferência de imprensa após o último Conselho Europeu do ano, Mariano Rajoy garantiu que a Espanha apresentará a sua candidatura, mas disse não estar em condições de dar nomes específicos neste momento.

Segundo a agência EFE, Mariano Rajoy disse que falou sobre o assunto com os outros líderes europeus, embora não na cimeira europeia que terminou hoje, e lembrou que Espanha não apresentou um candidato para presidir ao Eurogrupo, uma posição que foi ocupada pelo ministro das Finanças português, Mário Centeno.

Questionado sobre se Espanha está a considerar apresentar uma mulher à vice-presidência do BCE, depois de o Parlamento Europeu ter pedido maior igualdade de género, Rajoy enfatizou que sempre teve isso em conta.

“Nós sempre tivemos isso em consideração e continuaremos a ter, o que significa”, acrescentou, que Espanha pode “apresentar um homem ou uma mulher para a vice-presidência do BCE”.

O vice-presidente do BCE, o português Vítor Constâncio, abandona o lugar em breve e o nome do ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, tem sido apontado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Paulo Azevedo, Chairman e Co-CEO da Sonae, e Ângelo Paupério, Co-CEO da Sonae.

(Leonel de Castro / Global Imagens)

Sonae SPGS com lucros de 200 milhões até setembro

Veículos estacionados no porto de Setúbal, durante a greve dos estivadores precários, em Setúbal, 14 de novembro de 2018. Em causa está um diferendo laboral desencadeado por um grupo de estivadores precários e a empresa de trabalho portuário Operestiva, que afeta várias empresas, entre as quais a Autoeuropa. ANDRÉ AREIAS/LUSA

Setúbal: Operestiva disposta a negociar se estivadores voltarem ao trabalho

Primeira-ministra Theresa May, 14 de novembro de 2018. EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Brexit: May consegue apoio do Governo e aprova rascunho do acordo final

Outros conteúdos GMG
Rajoy confirma candidatura de Espanha à vice-presidência do BCE