Novo Banco

Ramalho. Fundo de Resolução tem auditoria a créditos de Luís Filipe Vieira

António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Filipa Bernardo/Global Imagens
António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Filipa Bernardo/Global Imagens

António Ramalho disse que as operações de reestruturação desses créditos foram “analisadas em detalhe" e “autorizadas pelo Fundo de Resolução”.

O presidente executivo do Novo Banco disse, no parlamento, que há uma auditoria específica do Fundo de Resolução à reestruturação de créditos em dívida de Luís Filipe Vieira, atual presidente do Benfica.

Em audição na comissão de orçamento e finanças, António Ramalho disse hoje que as operações de reestruturação desses créditos foram “analisadas em detalhe” e “autorizadas pelo Fundo de Resolução”.

Além disso, acrescentou, “o Fundo de Resolução tem uma auditoria específica para que seja analisada em profundidade [essa operação] e é isso que está em curso”.

Sem se referir especificamente ao devedor em causa, mas ao número de código no relatório da auditoria da Deloitte, Ramalho disse que a solução acordada para a reestruturação dessa dívida faz com que o Novo Banco tenha mais capacidade de recuperação da dívida e ao mesmo tempo mantém todas as garantias e tem ainda direito de opção da venda da participação.

A dívida de Luís Filipe Vieira ao Novo Banco foi trazida à comissão parlamentar pela deputada do BE Mariana Mortágua, que afirmou que em 2018 a exposição total do Novo Banco à Promovalor (empresa de Luís Filipe Vieira) era de 760 milhões de euros, tendo já gerado perdas de 225 milhões de euros.

A bloquista disse ainda que se em 2014 o Novo Banco era credor de Luís Filipe Vieira, mas que em 2018 “já era sócio” de Luís Filipe Vieira, porque, entretanto, “deu dinheiro a um fundo para comprar as dívidas de Luís Filipe Vieira”, fundo esse gerido por uma empresa do filho do presidente do Benfica.

Ainda sobre o Benfica, em resposta à deputada do CDS-PP Cecília Meireles, António Ramalho falou de notícias sobre um empréstimo de 28 milhões de euros do banco à SAD do Benfica.

O gestor disse que fez um pedido excecional à SAD do Benfica para o libertar do sigilo bancário para mostrar um gráfico a demonstrar que o clube tem vindo a reduzir a sua dívida ao banco. “É inaceitável vir penalizar um cliente por causa de uma dicussão que existe de outro lado”, afirmou.

O jornal semanário Expresso noticiou no sábado que o primeiro-ministro, António Costa, faz parte da comissão de honra de Luís Filipe Vieira para as eleições do Benfica, em outubro.

Em reação, o chefe do Governo tem defendido que o seu apoio à recandidatura do presidente do Benfica não tem “rigorosamente nada” a ver com a sua vida política ou funções.

O apoio de Costa a Vieira motivou críticas de vários quadrantes políticos, desde logo por o presidente do Benfica ser um dos maiores devedores ao Novo Banco, que tem beneficiado da injeção de dinheiros públicos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

Fachada da Caixa Geral de Depósitos. 
(Sarah Costa / Global Imagens)

Clientes da CGD sem acesso ao serviço Caixadirecta

App Stayaway covid

App Stayaway Covid perto do milhão de downloads. 46 infetados enviaram alertas

Ramalho. Fundo de Resolução tem auditoria a créditos de Luís Filipe Vieira