Imobiliário

Reabilitação urbana aumenta 42,8% num ano

Fotografia: Direitos reservados
Fotografia: Direitos reservados

O mercado da reabilitação urbana encerrou o primeiro semestre de 2018 "em alta"

O indicador registou um aumento de 42,8% em junho, em termos homólogos, segundo o barómetro da AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, hoje divulgado.

De acordo com o inquérito mensal aos empresários do setor da construção que atuam na área da reabilitação urbana, relativo a junho passado, “o índice que mede o nível de atividade subiu 42,8%, em termos homólogos, e 2,6% face ao mês anterior”, informou a AICCOPN.

Segundo a associação, que representa cerca de 8.000 empresas do setor da construção civil e obras públicas, foi observado no índice que mede a evolução da carteira de encomendas “um aumento de 29,3% em termos homólogos e de 4,7% face ao mês” de maio.

“Nos primeiros seis meses de 2018, quer o índice ‘nível de atividade’ quer o índice ‘carteira de encomendas’ têm registado fortes crescimentos em termos homólogos, com variações mensais médias de 40,4% e 54,8%, respetivamente”, referiu a AICCOPN.

Em relação à produção contratada em meses, que mede o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, “fixou-se em 7,6 meses” em junho, o que representa “uma subida de 2,4% em termos homólogos e de 1,3%” comparativamente a maio, revelou a mesma nota da associação.

A AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas foi fundada em 1892 e possui atividade de âmbito nacional.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
President of the European Commission Ursula von der Leyen (L) and President of the European Council Charles Michel give a press conference during the second day of a special European Council summit in Brussels on February 21, 2020, held to discuss the next long-term budget of the European Union (EU). (Photo by kenzo tribouillard / AFP)

Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

Diretor-geral da fábrica da PSA Mangualde, José Maria Castro, fotografado na linha de montagem. (Fernando Fontes / Global Imagens )

Futuro da PSA Mangualde depende de apoio do Governo a projeto de 18 milhões

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, discursa durante o almoço-debate "Os Desafios da Ferrovia: Infraestrutura, Serviços e Indústria", organizado pelo International Club of Portugal num hotel de Lisboa, 21 de fevereiro de 2020. TIAGO PETINGA/LUSA

Prejuízo da TAP “não foi um desvio qualquer” e já devia ter tido lucro

Reabilitação urbana aumenta 42,8% num ano