Receita da Air Liquide cresce 7,9% para 6.887 milhões de euros no 1.º trimestre fiscal

Multinacional francesa alcança desempenho em "contexto desafiante" com altos preços de energia, forte inflação, tensão nas cadeias de fornecimento e guerra na Ucrânia.

A receita do grupo Air Liquide registou um crescimento de 7,9% no primeiro trimestre deste ano, em base comparável, para 6.887 milhões de euros, face a idêntico período do ano anterior, anunciou esta quarta-feira a multinacional francesa.

Este desempenho foi alcançado num "contexto desafiante" de altos preços de energia, forte inflação, tensão nas cadeias de fornecimento e a guerra na Ucrânia, disse o presidente executivo da Air Liquid Group, Benoît Potier.

A multinacional francesa, que opera no setor dos gases industriais, beneficiou no período em análise de um "sólido modelo de negócio" e de "ações proativas" para aumentar os preços no negócio do comércio industrial, adiantou o gestor.

As vendas, que atingiram até março os 6.887 milhões de euros, incluem 6.600 milhões de euros para o Gás e Serviços, sendo que o crescimento observado (7,9%) confirma a "força dos negócios" de Gás e Serviços e o forte impulso das linhas de negócios de Engenharia e Construção e Mercados Globais e Tecnologias.

Em relação à eficiência, o grupo Air Liquide diz que continuou a atuar para melhorar o desempenho a este nível.

No primeiro trimestre, o grupo empresarial gerou 77 milhões de euros em eficiência, apesar do contexto de alta inflação, tendo confirmado agora o objetivo de mais de 400 milhões de euros previstos para o final deste ano.

O fluxo de caixa, por sua vez, permaneceu elevado, representando mais de 23% das vendas, no caso de se excluir o efeito energia, lê-se no comunicado.

Quanto às decisões de investimento, no trimestre em apreço, atingiram os 913 milhões de euros, sendo que em causa estão diversos projetos de eletrónica, nomeadamente na Ásia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de