Energia

Reclamações ao regulador da energia caíram para 5.149 entre abril e junho

Foto: DR
Foto: DR

A diminuição de reclamações este ano aconteceu "em todos os setores e subsetores", avança a ERSE.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) recebeu menos 3.532 reclamações no segundo trimestre deste ano relativamente ao mesmo trimestre do ano passado, num total de 5.149 reclamações.

Em comunicado, o regulador da energia acrescenta que a diminuição de reclamações este ano aconteceu “em todos os setores e subsetores”, entre os quais o elétrico, o do gás natural, do fornecimento dual, o subsetor dos gases de Petróleo Liquefeito (GPL) canalizado e o abastecimento de combustíveis.

Entre os temas mais reclamados à ERSE pelos consumidores de energia, entre abril e junho deste ano, está a faturação, seguida pela contratação nos setores da eletricidade, do gás natural e do fornecimento dual, enquanto que no GPL canalizado as reclamações estão associadas à interrupção do fornecimento e ao pré-aviso ou mudança para o gás natural.

“Sublinha-se um número assinalável de reclamações sobre a qualidade de serviço comercial (atendimentos, visitas combinadas, etc.) no setor da eletricidade”, destaca a ERSE.

Adianta ter concluído 4.766 processos no segundo trimestre, dos quais 2.679 através da prestação de informação complementar ao consumidor, 1.077 encerrados com informação direta ao consumidor, e 255 processos que resultaram numa alteração da posição da entidade reclamada, após recomendação da ERSE.

Sobre o número de empresas comercializadoras no setor da energia, a ERSE diz ter havido “um aumento” no segundo trimestre.

A ERSE começou hoje a divulgar resultados trimestrais através de um novo relatório, o Boletim ACE – Apoio ao Consumidor de Energia.

Os últimos dados sobre reclamações de consumidores à ERSE, divulgados em fevereiro passado, davam conta de um aumento de 26% nas reclamações de 2018, face a 2017, num total de 31.421 reclamações e pedidos de informação no ano passado.

O setor mais reclamado em 2018 foi o elétrico (59%), com 18.388 reclamações e pedidos de informação, num universo de cerca de 6,2 milhões de consumidores.

Já o gás natural registou no ano passado 2.342 reclamações e pedidos de informação (7%), num total de 1,3 milhões de consumidores.

O fornecimento dual (eletricidade e gás natural) motivou a apresentação de 5.949 reclamações e pedidos de informação (19%) em 2018, enquanto o subsetor dos combustíveis e do gás de petróleo liquefeito (GPL) registou 3.350 reclamações e pedidos de informação (11%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Felipe VI, rei de Espanha

Sem acordo para governo, Espanha pode ir de novo a eleições em novembro

Pedro Amaral Jorge, presidente da APREN
(João Silva/Global Imagens)

APREN. Renováveis contribuem com 15 mil milhões de euros para o PIB

Outros conteúdos GMG
Reclamações ao regulador da energia caíram para 5.149 entre abril e junho