Construção

Reconversão de antigo Matadouro do Porto adjudicada à Mota Engil

Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens
Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

A reconversão do antigo Matadouro representa um investimento de 40 milhões de euros.

A Câmara do Porto revelou hoje que a reconversão do antigo Matadouro, que representa um investimento de 40 milhões de euros, foi adjudicada à Mota Engil, sendo o projeto de arquitetura da responsabilidade do japonês Kengo Kuma.

No seu portal de notícias, a autarquia afirma que o projeto “prevê uma grande cobertura” que vai unir o antigo matadouro, que será preservado, e o novo edifício, bem como uma passagem pedonal por cima da Via de Cintura Interna (VCI).

O concurso de concessão que a câmara lançou em agosto do ano passado contou com três concorrentes e indicava “a reconversão integral do complexo, mantendo a sua memória histórica e natureza arquitetónica, em espaços empresariais diversificados e polivalentes”.

A autarquia anuncia que o projeto escolhido, cujo investimento é “inteiramente privado”, prevê “áreas para a instalação de empresas”, mas também para museus (o Museu da Indústria ficará lá sediado), “reservas de arte, auditórios, espaços expositivos e equipamentos sociais”.

“O Matadouro não é, contudo, a repetição do conceito de condomínio empresarial fechado como existe noutros locais, mas antes um espaço aberto e de passagem, ou seja, será parte da cidade”, afirma, acrescentando que “um dos elementos fundamentais do projeto é a rua pedonal coberta, que o atravessa de ponta a ponta, ligando a um jardim suspenso sobre a VCI que dá acesso à estação de metro do Estádio do Dragão”.

O arquiteto Kengo Kuma, autor deste projeto em parceria com os portugueses OODA, é conhecido por desenhar o estádio nacional de Tóquio, que será palco da cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, em 2020, na capital japonesa.

Nascido em Yokohama, Kengo Kuma é também autor do Suntory Museum of Art, em Tóquio, a Bamboo Wall House, na China, a sede do grupo Louis Vuitton, no Japão e o Mandarin Oriental Dellis Cay, um Spa das Caraíbas.

Em abril de 2016, o presidente da Câmara, Rui Moreira, foi a Milão, em Itália, explicar o que pretendia fazer com o antigo Matadouro industrial da cidade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Reconversão de antigo Matadouro do Porto adjudicada à Mota Engil