Coronavírus

Rede de voluntários para vídeo-consultas grátis

Knok liga médicos a pacientes desde dezembro de 2015. Fotografia: DR
Knok liga médicos a pacientes desde dezembro de 2015. Fotografia: DR

Startup portuguesa de médicos ao domicílio cria serviço dedicado a combater o novo coronavírus.

Voluntariado médico que faz consultas por videochamada, agora dedicado ao novo coronavírus. É o novo serviço que a nortenha Knok Healthcare abre aos portugueses, para ajudar a combater o covid-19.

Criada em dezembro de 2015 por José Bastos – gestor que durante 17 anos trabalhou na Sonae, antes de ter a ideia da Knok Care -, trata-se de uma rede de médicos que funciona como uma espécie de Uber da saúde que permite chamar um especialista a casa através de um clique.

Agora, a empresa juntou mais de 120 programadores e startup people e criou uma nova solução totalmente dedicada ao novo coronavírus. “À medida que as entidades governamentais continuam a tentar travar a disseminação, as consultas por vídeo passaram a ter um papel vital na manutenção dos acesso aos cuidados primários”, explica a Knok Healthcare, apresentando a iniciativa tech4COVID19, em que “empenha todos os esforços possíveis para ajudar, através da vídeo-consulta que queremos que seja grátis para a população”.

A empresa lança ainda um apelo a todos os médicos de família e médicos com experiência de urgência para que contactem a Knok no sentido de se juntarem à equipa de voluntários, de forma a construir uma solução eficaz de vídeo-consultas à população a custo zero. Para entrar na rede, os especialistas de saúde só têm de enviar um email para voluntarios@knokcare.com mencionando nome, especialidade, nº cédula, email e contacto telefónico.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus turismo turistas

ISEG. Recessão em Portugal pode chegar a 8% este ano

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. JOÃO RELVAS/LUSA

Pedidos de lay-off apresentados por 33.366 empresas

coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Rendimento básico incondicional? “Esperamos não ter de chegar a esse ponto”

Rede de voluntários para vídeo-consultas grátis