combustíveis

Reforço das sanções dos EUA contra o Irão entram em vigor

Foto: Reuters/Brendan McDermid
Foto: Reuters/Brendan McDermid

Medida, dirigida a oito países (China, Índia, Turquia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Itália e Grécia) implicou um súbito aumento do preço do petróleo.

Os EUA começam a impor a partir de hoje a proibição das medidas de exceção que permitiam a oito países importar petróleo bruto iraniano, para “reduzir a zero” as exportações e privar Teerão da sua principal fonte de receitas.

A medida, dirigida a oito países (China, Índia, Turquia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Itália e Grécia) implicou um súbito aumento do preço do petróleo, e surge numa altura delicada para Pequim, que está a negociar um acordo comercial com Washington. A China é um dos maiores clientes do petróleo iraniano.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou previamente que não prolongaria esse regime de exceção e que o seu país aplicará sanções a todas as empresas e países que pretendam comprar petróleo ao Irão.

Ao reagir à medida, o guia supremo do Irão, o ‘ayatollah’ Ali Khamenei, advertiu em 24 de abril que o reforço das sanções contra o petróleo iraniano vai merecer uma “resposta” do Governo iraniano.

Os Estados Unidos “devem saber que a sua medida hostil não ficará sem resposta. A nação iraniana não fica de braços cruzados face à animosidade”, indicou, sem adiantar mais detalhes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Regresso ao trabalho - ilustração

O mundo do trabalho mudou. A saúde é agora lei

José Theotónio, CEO do Grupo Pestana.
(Diana Quintela / Global Imagens)

José Theotónio: “Haverá voos mas não virão logo com turistas para o Algarve”

Fotografia: D.R.

Teletrabalho continua obrigatório para grupos de risco e pais sem escola

Reforço das sanções dos EUA contra o Irão entram em vigor