Regresso às aulas

Regresso às aulas: 36% das famílias ponderam utilizar cartão de crédito

Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens
Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

O uso de cartão de crédito para pagar as compras de regresso às aulas é uma opção para as famílias com filhos em idade escolar.

Mais de um terço das famílias portuguesas pondera utilizar cartão crédito nas compras para o novo ano letivo (36%), esta intenção é superior à expressada em 2016 (27%), segundo o estudo Observador Cetelem Regresso às Aulas 2017, realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen.

Dos portugueses que não utilizam cartão de crédito nas compras de regresso às aulas, uma parte significativa revelou que não tenciona usar esta forma de pagamento (45%), enquanto os restantes consumidores afirmaram não ter cartão de crédito (25%).

Quem recorre a este meio de pagamento conta gastar, em média, 312 euros para o novo ano letivo. Um montante que aumentou pela primeira vez em cinco anos, apesar de ainda não atingir o valor de 2013 (376 euros).

Pedro Camarinha, diretor de distribuição do Cetelem, afirma que “estes meses são de grande consumo para os portugueses. Os gastos com férias e o regresso às aulas sobrecarrega o orçamento das famílias. Por este motivo, procuram diluir no tempo os gastos para gerirem melhor o seu orçamento. A opção da compra online tem vindo a ganhar mais adeptos entre os consumidores para comprar os livros escolares.”

“A maioria dos sites tem opção de pagamento com cartão de crédito, mas alguns já apresentam a possibilidade de compra em parcelas até três meses e sem encargos para o cliente. Esta modalidade começa a ser uma opção bastante procurada pelo consumidor, como forma de gerir o orçamento neste período”, acrescentou ainda Pedro Camarinha.

O estudo Observador Cetelem Regresso às Aulas 2017, teve por base uma amostra representativa de 600 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os géneros e com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ex-presidente do BPN, José Oliveira Costa. Fotografia: Rodrigo Cabrita/Global Imagens

Finanças. Antigo BPN está a ajudar a reduzir défice deste ano

Vieira da Silva e Cláudia Joaquim
Fotografia: Leonardo Negr‹ão / Global Imagens

Governo admite eliminar factor de sustentabilidade noutros tipos de pensões

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Regras das pensões antecipadas que existem em 2018 vão manter-se

Outros conteúdos GMG
Regresso às aulas: 36% das famílias ponderam utilizar cartão de crédito