“Regresso de forma contínua está distante”

Esta seria uma boa altura para regressar aos mercados?

Com os juros a 10 anos ainda acima dos 7%, este não parece ser o
momento mais oportuno para regressar aos mercados. O enquadramento
atual está a ser marcado por novas preocupações, relativamente à
sustentabilidade da dívida pública portuguesa, tendo em conta os
sinais de fragilidade ainda visíveis na evolução da economia e na
execução orçamental.

País falha regresso ao mercado e segundo resgate está à
espreita. Leia aqui

Qual poderá ser a altura ideal para o fazer?

Neste momento está a decorrer a 8.ª e a 9.ª avaliação do
programa de assistência financeira da troika, que também terá
implicações no Orçamento do Estado para 2014. A sua conclusão com
sucesso poderá eventualmente provocar uma queda nas yields em
mercado secundário, refletindo uma diminuição das incertezas dos
investidores relativamente à capacidade de Portugal não só em
continuar a cumprir com as metas em termos de execução orçamental,
assim como no que se refere à implementação de reformas
estruturais. Portugal poderá, após uma conclusão com sucesso da
avaliação em curso, procurar regressar aos mercados com uma nova
emissão. Não nos podemos esquecer de que para aceder ao programa
OMT do BCE, o País precisa de mostrar que não perdeu o acesso aos
mercados. Mas, o regresso aos mercados de uma forma contínua e a
taxas de juro sustentáveis no médio prazo ainda parece estar
distante.

Portugal vai necessitar de um segundo resgate?

Com a estabilização da dívida pública ainda por conseguir e o
processo de reestruturação da economia por concluir, Portugal não
parece estar ainda em condições de se financiar de forma autónoma
nos mercados de dívida internacionais. Os atuais níveis de dívida
pública [130,9% do PIB] não só parecem demasiado elevados para
possibilitar um novo período de crescimento económico, como a
sustentabilidade da dívida pública parece estar dependente do
suporte e de eventuais medidas de flexibilização por parte dos
nossos parceiros europeus.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: MIGUEL A. LOPES/ LUSA

Défice recua à boleia de crescimento da receita e estabiliação da despesa

Terminou nesta sexta-feira o prazo para a entrega de propostas de compra do Novo Banco

Pimco aceita oferta do Novo Banco

Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

Portugueses são os que mais querem poupar para enfrentar futuras crises

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
“Regresso de forma contínua está distante”