Enoturismo

Reguengos de Monsaraz acolhe Conferência Mundial de Enoturismo em 2020

Foto: DR
Foto: DR

A edição deste ano vai ter lugar na Moldávia, nas próximas quinta e sexta-feira. Em 2019, a Conferência Mundial acontece no Chile.

Reguengos de Monsaraz, um dos principais concelhos vitivinícolas do país, vai acolher, em 2020, a 5.ª Conferência Mundial de Enoturismo, para debater o setor e estratégias para o desenvolvimento do turismo de vinhos, foi esta segunda-feira revelado.

A Câmara de Reguengos de Monsaraz, no concelho de Évora, anunciou esta segunda-feira, em comunicado, que o concelho vai ser “palco” desta iniciativa, promovida pela Organização Mundial de Turismo (OMT) e agendada para o “outono de 2020”.

O evento, de periodicidade anual, “reúne especialistas para analisar o setor do enoturismo a nível mundial, debater as suas problemáticas e apontar estratégias para o desenvolvimento do turismo de vinhos”, disse o município.

A edição deste ano vai ter lugar na Moldávia, nas próximas quinta e sexta-feira, cabendo o Chile, em 2019, organizar a conferência mundial.

A escolha do município português como “anfitrião” da edição em 2020 surge depois de, no início deste ano, Reguengos de Monsaraz ter recebido a 1.ª visita oficial do secretário-geral da OMT, Zurab Pololikashvili, que tinha tomado posse “poucas semanas” antes.

Citada pela autarquia, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considerou tratar-se de “mais uma conquista que vai ajudar a promover e posicionar Portugal internacionalmente como destino imperdível de enoturismo”.

“Traduz o reconhecimento da forma como Portugal é hoje visto como um ‘case study’ internacional no turismo”, congratulou-se a governante.

Já o presidente da câmara alentejana, José Calixto, afiançou que acolher o evento vai ser “uma honra” para o concelho, que “assume centralidade no panorama vitivinícola português”.

Trata-se, para o autarca, do “culminar de uma fase de ouro” no que toca “à promoção” de Reguengos de Monsaraz “no mundo”, iniciada com a Cidade Europeia do Vinho, título que ostentou em 2015.

“Cinco anos depois assumiremos a organização do maior evento que se realiza no mundo sobre enoturismo”, congratulou-se José Calixto, que é o atual presidente da Rede Europeia das Cidades do Vinho (RECEVIN).

O concelho de Reguengos de Monsaraz, divulgou a câmara, tem atualmente cerca de quatro mil hectares de vinhas e conta com 10 produtores vitivinícolas, os quais, em conjunto, produzem anualmente mais de 25 milhões de litros de vinho.

Os enoturismos do Esporão e da Ervideira, dois dos produtores locais, indicou ainda a autarquia, recebem cerca de 50 mil visitantes por ano.

Depois do evento Cidade Europeia do Vinho 2015, a câmara registou a marca “Reguengos de Monsaraz — Capital dos Vinhos de Portugal” e está a desenvolver uma campanha internacional de promoção.

No ano passado, este município alentejano registou um aumento de 12,4% das visitas turísticas no concelho, face a 2016, acolhendo “cerca de 100 mil turistas”, lembrou a autarquia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Reguengos de Monsaraz acolhe Conferência Mundial de Enoturismo em 2020