Política Monetária

Reserva Federal dos EUA volta a subir juros

Jerome Powell, presidente da Fed. Fotografia: REUTERS/Joshua Roberts
Jerome Powell, presidente da Fed. Fotografia: REUTERS/Joshua Roberts

A Reserva Federal dos EUA aumentou o intervalo da taxa dos fundos federais para entre 1,75% e 2%.

Um dia antes da decisão do Banco Central Europeu, a Reserva Federal dos EUA (Fed) fez mais uma subida das taxas de juro. A instituição liderada por Jerome Powell aumentou o intervalo dos juros em 25 pontos base para entre 1,75% e 2%.

Foi a segunda subida feita este ano, num processo de normalização das taxas que começou no final de 2015. Desde essa data já subiu os juros por sete vezes, por considerar que a economia e o mercado de trabalho apresentam dados sólidos. Caso esses indicadores assim continuem a Fed poderá fazer mais duas subidas de juros até final do ano.

“O Comité espera que subidas graduais adicionais no intervalo da taxa dos fundos federais será consistente com a expansão sustentada da atividade económica, das condições fortes do mercado de trabalho e da inflação num nível perto do objetivo de 2% no médio prazo”, refere o comunicado da Reserva Federal.

Nas projeções feitas pelos membros da Fed, a maioria dos participantes na reunião aponta para que no final do ano os juros fiquem no intervalo de entre 2,25% e 2,50%, o que implicaria mais duas subidas. Mas existe também um número considerável de responsáveis a antever apenas mais uma subida das taxas este ano.

Para 2019, a maior parte dos responsáveis da autoridade monetária americana veem os juros a ficar em torno de 3%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

Motoristas em greve junto à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 16 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Reserva Federal dos EUA volta a subir juros