Turismo

Revive: Castelo de Vila Nova de Cerveira vai ser hotel já em 2021

Castelo de Vila Nova de Cerveira
Fotografia: Rui Manuel Fonseca / Global Imagens
Castelo de Vila Nova de Cerveira Fotografia: Rui Manuel Fonseca / Global Imagens

O Castelo de Vila Nova de Cerveira, que estava no programa Revive, foi adjudicado a Eurico da Fonseca. Vai ser um hotel e deve abrir portas em 2021.

O Castelo de Vila Nova de Cerveira é um castelo medieval de estilo gótico, construído em 1320 por ordem do rei D. Dinis, e dentro de cerca de dois anos será um hotel de, pelo menos, quatro estrelas.

Este imóvel integrou o Revive – programa lançado em 2016 que tem como missão promover e agilizar os processos de rentabilização e preservação de património público devoluto, tornando-o apto para a atividade turística – e foi adjudicado a Eurico da Fonseca, que desenvolveu o projeto do Palácio de São Bento da Vitória, no Porto, de acordo com o comunicado da secretaria de Estado do Turismo.

A proposta vencedora de Eurico da Fonseca “atingiu praticamente o triplo do valor base do concurso, correspondendo a uma renda anual de 33.500 euros anuais (o valor base estava fixado em 13.260 euros)”.

Para a recuperação do Castelo de Vila Nova de Cerveira vai ser necessário um investimento de cerca de três milhões de euros. A unidade hoteleira que ‘nascerá’ terá pelo menos quatro estrelas, 41 quartos, restaurante e ginásio. A inauguração está prevista para o final de 2021.

Com o Castelo de Vila Nova de Cerveira, passam a ser 11 os imóveis adjudicados ao abrigo do Programa Revive, o que representa um investimento de 103 milhões de euros. Ainda na semana passada foi anunciado que o Quartel da Graça, em Lisboa, e que estava também neste programa foi adjudicado ao grupo SANA.

Até ao momento foram lançados concursos relativos a 19 imóveis no âmbito do Revive. E estão abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, do Forte da Ínsua, em Caminha, do Mosteiro de São Salvador de Travanca, em Amarante, e do Paço Real de Caxias, em Oeiras.

Ana Mendes Godinho, ainda secretária de Estado do Turismo, em comunicado sinaliza que: “a conclusão do concurso do Castelo de Vila Nova de Cerveira é uma excelente notícia para a requalificação e valorização deste espaço extraordinário e para a criação de alojamento que responda à procura crescente no Alto Minho. A recuperação deste imóvel com 700 anos de história será um importante fator de geração de riqueza e de criação de emprego e comprova a importância do Revive na recuperação do nosso património público”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

rui_torgal_era_portugal_1

ERA está a contratar 500 novos colaboradores em Portugal

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

Revive: Castelo de Vila Nova de Cerveira vai ser hotel já em 2021