Eleições legislativas 2019

Rio acusa Costa de pôr “carruagem à frente da locomotiva” nos passes sociais

António Costa e Rui Rio (de costas) antes do frente a frente nas rádios. (Sara Matos / Global Imagens)
António Costa e Rui Rio (de costas) antes do frente a frente nas rádios. (Sara Matos / Global Imagens)

Transportes públicos foram um dos temas do debate nas rádios entre chefe de Governo e líder da oposição. Rio quer melhorar passes sociais.

A redução dos preços dos passes sociais une António Costa e Rui Rio. Só que a execução desta medida dividiu o líder do Governo e o presidente do PSD no debate organizado esta segunda-feira pelas rádios TSF, Antena 1 e Rádio Renascença. António Costa defendeu a urgência da medida por causa das metas de descarbonização aceites por Portugal; Rui Rio, sem se opor, entende que a redução de preços foi feita de “forma desajeitada” e “em cima do joelho”.

Rui Rio defendeu que a diminuição dos preços nos transportes “é uma boa medida, por razões de ordem social, ambiental e é uma função do Estado”. O líder do PSD recordou que na década passada foi administrador do Metro do Porto e sustentou que estes passes devem ter preços reduzidos e que o papel do Estado é dar “indemnizações compensatórias” às transportadoras.

Só que o tom apaziguador de Rio não durou muito tempo: “A redução dos passes foi feita em cima do joelho, por causa das eleições europeias e legislativas”. O líder social-democrata referiu ainda as queixas dos operadores “a berrar por falta de pagamento”. O chefe da oposição estaria a falar dos problemas com os transportadores privados em receber as verbas do Estado para os passes para estudantes – entretanto resolvido.

O líder social-democrata também lembrou que “era preciso que a oferta equivalesse à procura”. Neste ponto, António Costa lembrou os anúncios de compra de 700 autocarros para todo o país, a aquisição de 10 novos navios para a Soflusa e de 22 novos comboios regionais para a CP.

Embora a compra de veículos e material circulante demore vários anos a ser concretizada, o primeiro-ministro recusou as acusações de Rui Rio: “não íamos adiar por cinco anos a redução dos passes por causa da compra de comboios. Temos 10 anos para reduzir as emissões dos transportes em 40%

Se for primeiro-ministro, o líder do PSD garante que vai melhorar os passes sociais – em resposta à insistência de António Costa – para “evitar situações em que os residentes em concelhos vizinhos tenham de pagar dois passes”, “resolver a desigualdade no país entre as comunidades intermunicipais e áreas metropolitanas”.

Em relação à desigualdade de distribuição de montantes para a redução dos passes, António Costa lembrou que “as verbas foram distribuídas conforme a população”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO CARRAPATO/LUSA

Maior credor de Portugal:juros baixos são temporários em países com rating fraco

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO CARRAPATO/LUSA

Maior credor de Portugal:juros baixos são temporários em países com rating fraco

Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

A grande eficácia das pequenas coisas

Outros conteúdos GMG
Rio acusa Costa de pôr “carruagem à frente da locomotiva” nos passes sociais