preço do petróleo

Rússia e OPEP decidem travar produção de petróleo. Preços sobem

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

Rússia, Arábia Saudita, Qatar e Venezuela decidiram manter a produção aos níveis de janeiro, em vez de aumentá-la

A Rússia e alguns países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), incluindo a Arábia Saudita, chegaram a acordo para congelar os níveis de produção de petróleo, noticia, esta terça-feira, a Bloomberg. O anúncio teve efeito imediato e os preços da matéria-prima chegaram a disparar 3%.

Depois de uma reunião em Doha, no Qatar, o ministro do Petróleo saudita, Ali Al-Naimi, e o ministro da Energia russo, Alexander Novak, decidiram manter a produção da matéria-prima aos níveis de janeiro, em vez de aumentá-la, para corresponder à queda da procura. O Qatar e a Venezuela também aceitaram participar neste travão à produção, anunciou Al-Naimi.

Enquanto os governantes ainda estavam reunidos, os preços do petróleo chegaram a disparar mais de 6%, para a casa ds 35 dólares, com as expectativas de que fosse anunciado um corte na produção. Quando o anúncio se ficou por um “congelamento”, os ganhos aliviaram e o brent voltou a negociar na casa dos 33 dólares.

Segundo os dados da Agência Internacional de Energia, a Arábia Saudita produziu 10,2 milhões de barris por dia em janeiro, enquanto a Rússia produziu quase 10,9 milhões nesse mês. Estes níveis serão os “adequados” para responder à procura, considerou o ministro saudita.

Apesar de não haver um corte, este congelamento da produção será um bom ponto de partida para “a recuperação dos preços do petróleo no segundo semestre deste ano”, diz à Bloomberg um analista da Petromatrix.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Rússia e OPEP decidem travar produção de petróleo. Preços sobem