Função Pública

Salário base da função pública aumenta para 635 euros

Maria Manuel Leitão Marques,  ministra da Presidência do Conselho de Ministros. Fotografia: MIGUEL A. LOPES/LUSA
Maria Manuel Leitão Marques, ministra da Presidência do Conselho de Ministros. Fotografia: MIGUEL A. LOPES/LUSA

A atualização "não prejudicará" as progressões na carreira, assegurou a ministra da Presidência.

O diploma que atualiza a base remuneratória da administração pública de 580 para 635,07 euros aprovado em Conselho de Ministros, esta quinta-feira, uma atualização que “não prejudicará” as progressões na carreira, assegurou a ministra da Presidência.

“Este aumento é uma atualização salarial que nunca prejudicará nenhum trabalhador na sua progressão”, disse a ministra da Presidência do Conselho de Ministros, no final da reunião daquele órgão, que aprovou o decreto-lei.

Segundo Maria Manuel Leitão Marques, a atualização, para 635,07 euros, “faz coincidir o valor da remuneração base mais baixa praticada na administração pública com o montante correspondente ao quarto nível remuneratório da tabela única”.

Questionada sobre as preocupações manifestadas por alguns sindicatos em relação à possibilidade de esta atualização poder travar a progressão nas carreiras de alguns trabalhadores, a ministra assegurou que “não prejudicará nenhum trabalhador”.

Sem querer comentar exemplos concretos, a ministra disse que “quem conhece o sistema de valorizações salariais sabe que há muitos casos em que essas valorizações limpam os pontos” acumulados para efeitos da progressão e garantiu que “não é o caso” da atualização salarial hoje aprovada.

O trabalhador que beneficiar do aumento salarial “progredirá a partir da posição que tem com a valorização que lhe é feita com os seus pontos, a partir de 1 de janeiro de 2019”, precisou.

Quanto ao impacto orçamental da medida, Maria Manuel Leitão Marques referiu que “as contas apontam no sentido” do valor previsto de cerca de 50 milhões de euros.

“É um valor limitado mas é possível dentro do equilíbrio orçamental que nos cabe preservar”, disse.

Em comunicado divulgado na quarta-feira, a Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) exigiu que o Governo encontre uma solução que salvaguarde os pontos da avaliação de desempenho dos trabalhadores cuja remuneração base vai aumentar para os 635 euros.

Para esta estrutura sindical subsistem dúvidas de que os funcionários públicos que vão ser abrangidos pela subida de 580 euros para 635 euros não perdem os pontos que já detêm, e que são relevantes para futuras progressões na carreira, e quer ver esta questão salvaguardada na lei que vai fixar a nova remuneração base da função pública.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Estações do Metro do Porto não têm cancelas, o que dificulta o controlo da validação dos passes. ( Igor Martins / Global Imagens )

Metro do Porto e Carris reforçam fiscalização em ano de novos passes

Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Bancos que ajudaram Concorrência mais vulneráveis a pedidos de indemnização

Foto: REUTERS/Leah Millis

“Zuck está sentado em montanha de dados pessoais”. E segue-se “mudança radical”

Outros conteúdos GMG
Salário base da função pública aumenta para 635 euros