combustíveis

Salário médio em Portugal dá para comprar 645 litros de gasolina

Foto: DR
Foto: DR

Face à vizinha Espanha, os portugueses pagam mais 20 cêntimos por um litro de gasolina: 1,29 euros do lado espanhol e 1,49 euros do lado português.

Os portugueses pagam em média 1,49 euros por um litro de gasolina e, com um salário médio líquido a rondar os 964 euros conseguiriam compram 645 litros deste combustível. Com estes números, Portugal surge assim em 28º lugar num ranking elaborado pelo site de descontos Picodi, que marca presença em 44 países do mundo. “É bastante menos do que podem comprar habitantes dos países vizinhos. Em Espanha um salário médio permite adquirir 1126 litros e em França são 1496 litros, enquanto um italiano com o seu salário pode comprar 1219 litros de gasolina”.

Na Europa, mostra o estudo, a gasolina mais barata surge na Rússia, país com grandes reservas de petróleo, onde é possível comprar um litro deste combustível por apenas 63 cêntimos. Os preços mais caros verificam-se na Noruega, com a gasolina a chegar aos 1,70 euros/litro. Face à vizinha Espanha, os consumidores portugueses chegam a pagar mais 20 cêntimos pelo mesmo litro de gasolina: 1,29 euros do lado espanhol e 1,49 euros do lado português.

A equipa analítica do site de descontos Picodi estudou quantos litros de gasolina é possível comprar com uma salário médio nos vários países do mundo, pesquisando o preço médio da gasolina no primeiro semestre de 2019 e cruzando com os últimos salários líquidos médios nos respetivos países. O estudo, que analisou os preços e os salários em mais de 100 países em 6 continentes mostra que possuir reservas de petróleo nem sempre significa que a gasolina será mais acessível ao consumidor nesse país.

“A mais atrativa relação entre preço de gasolina e a média salarial pode ser encontrada na Suíça e Luxemburgo, países, em que não existem jazigos de petróleo. O salário médio destes países permite comprar, respetivamente, 3388 e 2827 litros de gasolina. O terceiro lugar é ocupado por Noruega, onde é possível comprar 1989 litros”, refere o documento.

Já a Moldávia e a Albânia são os países com a pior relação entre o preço de gasolina e salário médio, onde a quantidade de gasolina comprada com um salário médio não chega aos 300 litros.

A liderar o ranking, diz o estudo, está a Venezuela, onde um salário médio de 29 dólares permitiria num cenário hipotético comprar mais de 14 bilhões de litros, num país que continua assolado por uma imensa crise e gigantesca inflação. “O verdadeiro líder do ranking é o Golfo Pérsico. No Qatar, Kuwait e Emirados Árabes um litro custa cerca de 40 a 60 cêntimos de dólar, e com um salário médio é possível comprar entre 4900 e 6500 litros de gasolina. As classificações altas de países como os Estados Unidos e o Canadá podem ser explicadas não apenas pelos altos salários mas também pela quantidade de extração de petróleo nos seus territórios. A Suíça e o Luxemburgo surgem no top pelas remunerações elevadas”.

As menores quantidades menores de combustível podem ser compradas em Madagáscar (42 litros), Tajiquistão (131 litros) e Zâmbia (137 litros). Na Nigéria, país que extrai e exporta quantidades consideráveis de petróleo e apresentar mais baixos preços por litro (40 cêntimos de dólar), a média salarial muito baixa, cerca de 201 dólares, o que não permite que os cidadãos comprem grandes quantidades de gasolina (501 litros).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Salário médio em Portugal dá para comprar 645 litros de gasolina