concurso público

Santa Casa gasta 20 milhões em fornecimento de refeições

Fotografia: Direitos Reservados
Fotografia: Direitos Reservados

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa adjudicou três contratos para o fornecimento de refeições, através de concurso público.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa adjudicou três contratos para o fornecimento de refeições que totalizam 20 milhões de euros para os próximos três anos.

Segundo a informação disponível no Portal Base, onde está a informação sobre os concursos públicos e adjudicação direta do Estado, estes três contratos, com três entidades diferentes, foram assinados a 15 de julho e publicados a 22 de julho. Os contratos entraram em vigor a 16 de julho e têm a duração de um ano, “com possibilidade de renovação por períodos iguais e sucessivos de um ano até ao limite máximo de três anos”.

O primeiro contrato, de 2,89 milhões de euros, foi adjudicado através de concurso público à empresa ITAU – Instituto Técnico de Alimentação Humana, com a duração de três anos. O critério de adjudicação foi o preço mais baixo e este fornecimento destina-se à “prestação de serviços” que abrangem o chamado Lote 3: Hospital Ortopédico de Sant’Ana, Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão e Unidade de Saúde Maria José Nogueira Pinto.

No mesmo dia foi celebrado outro contrato que totaliza 11,9 milhões de euros para o período de três anos (3,9 milhões de euros por ano, mais IVA), nos mesmos termos, à empresa Gertal. Este contrato é para prestação de serviços ao Lote 2, que inclui várias creches, centros de dia, lares de crianças e idosos e equipamentos de adultos. Este é o quarto maior contrato celebrado até ao momento pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Um terceiro contrato, assinado no mesmo dia e que entrou em vigor a 16 de julho, totaliza 6 milhões de euros para os três anos (2 milhões de euros por ano), e foi assinado com a empresa Nordigal. Este contrato é para o lote 4, que prevê apoio domiciliário, segundo a informação disponível no Portal Base.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EDP_ENGIE2

EDP e Engie vão investir juntas até 50 mil milhões no eólico offshore

EDP_ENGIE2

EDP e Engie vão investir juntas até 50 mil milhões no eólico offshore

Da esquerda para a direita: Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado das Finanças, Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

OCDE. Dinamismo das exportações nacionais tem o pior registo da década

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Santa Casa gasta 20 milhões em fornecimento de refeições