Europeias

Santana Lopes: “Não estamos satisfeitos” com o resultado da Aliança

SL

O cabeça de lista Paulo Sande disse que é "um resultado digno, um resultado que permite naturalmente lançar as bases do futuro”.

O presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, considerou hoje que o resultado conquistado pelo partido nas eleições europeias, não tendo conseguido eleger eurodeputados, ficou “aquém” do que gostariam de ter alcançado, pelo que não estão satisfeitos.

“Queremos assumir que foi um resultado que ficou aquém daquilo que gostaríamos de ter alcançado, com certeza que sim”, disse o líder da Aliança em declarações aos jornalistas a partir da sede, em Lisboa, ainda antes de começarem a ser divulgados os resultados oficialmente.

“Não estamos satisfeitos, gostávamos de ter eleito uma representação”, acrescentou o presidente do partido, classificando o resultado como “um pouco uma desilusão”, numa noite “com sabor agridoce”.

Apontando que “com certeza que não é uma vitória, não é também um empate”, Santana Lopes salientou que “derrota era se não” tivessem lutado.

Antes, o cabeça de lista da Aliança ao Parlamento Europeu, Paulo Sande, afirmou que o resultado desta noite “não é obviamente” aquele que esperavam, mas “é um resultado dos novos partidos, um resultado digno, um resultado que permite naturalmente lançar as bases do futuro”.

“O povo português escolheu e escolheu não mudar, escolheu manter os partidos que já existem”, criticou, apontando que “nos outros países escolheu-se a mudança”, mas Portugal continua “infelizmente a escolher sempre os mesmos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Bruxelas agrava projeção de contração em Portugal para 9,8%

Comissão Europeia, Bruxelas (REUTERS)

Bruxelas revê estimativas. Economia da zona euro deverá recuar 8,7% em 2020

Mário Centeno


TIAGO PETINGA/LUSA

Centeno defende repensar das regras da dívida e do défice na UE

Santana Lopes: “Não estamos satisfeitos” com o resultado da Aliança