Portugal

Schäuble corrige: Portugal não precisa de resgate se cumprir regras

Ministro das Finanças alemão chegou a afirmar que Portugal devia pedir novo programa de ajuda. Mas corrigiu a declaração

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, começou por afirmar hoje que Portugal precisaria de pedir um novo programa de ajustamento e que Lisboa teria sucesso em conseguir esse novo resgate.

No entanto, o responsável voltou atrás nas suas palavras e disse que o país não precisa de um novo programa de resgate se cumprir as regras e os compromissos europeus.

Quer a notícia a dar conta de que o ministro alemão teria afirmado que Portugal precisaria de um novo resgate, quer a correção da sua afirmação foram ambas avançadas pela agência Reuters.

“Portugal irá cometer um enorme erro se não cumprir o que foi acordado”, afirmou Schäuble num evento em Paris. Citado pela Reuters, o ministro das Finanças explicou que “eles [os portugueses] não o querem [um novo pacote de resgate] e não precisam dele se cumprir as regras e os compromissos europeus”.

Quanto ao possível efeito dominó provocado pelo Brexit, saída do Reino Unido da União Europeia, o responsável afirmou que o perigo desse efeito “não deve, certamente, ser descartado”. “Seria justo que eles [Reino Unido] se decidissem num futuro próximo”, acrescentou.

“Mas é claro que faremos tudo o que for necessário para garantir que o impacto negativo e os perigos desta decisão não se tornem ainda maiores”, garantiu Schäuble.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Saída de clientes da EDP já supera as entradas

Outros conteúdos GMG
Schäuble corrige: Portugal não precisa de resgate se cumprir regras