União Europeia

Schäuble prepara plano para “nova UE”, incluindo poder de veto sobre orçamentos

Foto: EPA/UWE ANSPACH
Foto: EPA/UWE ANSPACH

Entre as medidas encontra-se o poder de veto sobre orçamentos nacionais que violem regras e a monitorização das políticas por entidades independentes

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, já elaborou o plano para a criação de uma “Nova União Europeia”, em resposta à decisão do Reino Unido de abandonar a União Europeia.

De acordo com jornal económico alemão “Handesblatt”, o plano desenhado pelo todo-poderoso ministro de Angela Merkel apresenta “planos concretos” para a reforma da União Europeia, incluindo a monitorização por uma entidade independente de todas as políticas orçamentais implementadas por cada Estado-Membro, ao invés da monitorização ser feita por um membro da Comissão Europeia.

Com o título de “Iniciativas posteriores ao referendo do Reino Unido”, o plano alemão para a UE passa pela implementação de várias medidas, “incluindo a possibilidade de vetar orçamentos nacionais que violem as regras de estabilidade e dívida”, aponta o “Handesblatt”, que consultou o documento.

Além da monitorização das políticas públicas de cada país por uma entidade independente e do poder de veto sobre os orçamentos de cada país quando a UE entender que podem violar as regras comunitárias, o jornal alemão aponta igualmente que as reformas idealizadas por Schäuble incluem ainda a separação da autoridade de supervisão bancária da esfera do Banco Central Europeu e o reforço dos poderes do Mecanismo Europeu de Estabilização, na zona euro.

O “Handesblatt” promete avançar esta quarta-feira com todos os detalhes sobre o plano do ministro das Finanças alemão para uma Nova União Europeia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Tiago Melo

Crédito chega às famílias mas nunca foi tão baixo para as empresas

Centro histórico de Lisboa. Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Salários médios sobem no turismo, mas ainda não vão além dos 632 euros

O crédito à habitação foi o setor com o valor mais elevado

Redução no IMT obriga a viver seis anos na mesma casa

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Schäuble prepara plano para “nova UE”, incluindo poder de veto sobre orçamentos