Reclamações

Segurança Social e SNS são os serviços públicos com mais queixas

Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens
Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens

A Segurança Social, o SNS e o Centro Nacional de Pensões lideram o topo da lista dos organismos públicos com mais reclamações. Queixas aumentaram 40%

Os portugueses estão a reclamar mais e os serviços públicos estão na mira dos descontentamentos. Entre janeiro e maio deste ano, o número de queixas dirigidas aos serviços públicos aumentou 40% relativamente ao mesmo período de 2017, de acordo com dados avançados pelo Portal da Queixa.

A Segurança Social, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o Centro Nacional de Pensões (CNP) lideram o topo da lista dos organismos públicos com mais reclamações recebidas nesta plataforma.

Com 881 reclamações online desde janeiro dirigidas à Segurança Social, a maioria são referentes a problemas na atribuição dos rendimentos, abonos ou outros. Cerca de 62% dos consumidores reclama das falhas no atendimento e na análise da situação e, 38% dos casos, denuncia os atrasos significativos na entrega de subsídios e a falta de resposta por parte da entidade.

Serviços públicos com mais reclamações (janeiro-maio 2018)

O mau atendimento é um dos principais problemas referido em 52% das 273 reclamações sobre o SNS. Também o mau serviço prestado nos hospitais ou centros de saúde é o motivo que sustenta 45% das queixas. Do total de queixas efetuadas, apenas 7 foram resolvidas pelo SNS.

Por outro lado, O Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), o Ministério da Educação e da Ciência (MEC) e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) são quem mais resolve as queixas.

A Câmara Municipal de Oeiras ganha destaque na tabela das entidades públicas com maior número de reclamações, com uma variação de 280% face ao período homólogo.

Relativamente ao IRN, 51% dos consumidores queixa-se do atendimento, enquanto que 40% queixa-se dos atrasos na emissão dos cartões de cidadão, de certificados ou passaportes. No caso do IMT, a maioria das reclamações (76%) são relativas a atrasos quer na emissão da carta, quer na marcação de exame ou na resposta ao consumidor.

Comparação com o ano 2017

 

Há mais portugueses a reclamar online

Num estudo recente, realizado a 5 mil pessoas, pelo Portal da Queixa com a Nicequest, 97% dos inquiridos afirmou que faz sentido reclamar. 85% já fez reclamações e 41% dos que reclamaram e obtiveram resposta ficaram satisfeitos com a resolução.

Os consumidores mais jovens, com idade inferior a 40 anos, consideram que “reclamar ajuda a melhorar o serviço prestado” e os mais velhos, com mais de 40 anos considera que reclamar é “um direito e um dever”.

O Portal da Queixa reúne a preferência de 69% dos entrevistados e, em segundo lugar, está o livro de reclamações a agradar a 49% dos participantes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Arrendatários vão poder realizar obras e pedir o reembolso

TIAGO PETINGA/LUSA

EDP nega ter indicado Manuel Pinho para curso nos EUA

luzes, lâmpadas, iluminação

Fatura da eletricidade baixa em 2019 “para todos”, garante o ministro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Segurança Social e SNS são os serviços públicos com mais queixas