35 horas

Sem 35 horas a 1 de julho, enfermeiros vão para a greve

Reino Unido precisa de enfermeiros

O desfecho da reunião que os enfermeiros vão ter no dia 6 de junho no Ministério da saúde vai determinar a sua resposta às 35 horas.

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses exige que o horário das 35 horas semanais de trabalho abranja os que estão vinculados por contrato individual de trabalho (CIT) a partir de 1 de julho, propondo que isso seja feito através de um acordo coletivo de trabalho, parcelar e transitório.

Esta é a solução encontrada para fazer face ao facto de a lei ontem aprovada pela Assembleia da República apenas abranger na reposição das 35 horas semanais os trabalhadores vinculados por contrato de trabalho em funções pública.

O SEP vai reunir com o Ministério da Saúde no dia 6 de junho e “A expectativa é que nesta reunião sejam agendadas as necessárias reuniões, até 9 de junho, para a concretização do Acordo Coletivo de Trabalho, Parcelar e Transitório, que aplique as 35 h semanais, a
1 de Julho de 2016, aos enfermeiros detentores de “Contrato Individual de Trabalho”, refere em comunicado.

Os dirigentes sindicais acreditam que esta meta será atingida mas avisam que “saberão responder à altura” se verificarem alguma “deriva” do governo em não “concretizar o compromisso assumido a 4 de maio pelo governo” de aplicar este horário a partir de 1 de julho.

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Sem 35 horas a 1 de julho, enfermeiros vão para a greve