Imobiliário

Senhorios podem aumentar rendas em 1,12% no próximo ano

Nova taxa nas rendas preocupa senhorios

No próximo ano, os senhorios podem aumentar as rendas em 1,12%, tendo em conta a taxa de inflação divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística.

A inflação que serve de referência ao índice de atualização anual das rendas indica que, em 2018, os senhorios poderão notificar os seus inquilinos de um aumento de 1,12%. Estão em causa perto de 800 mil contratos de arrendamento.

Os dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística revelam que a inflação média dos últimos meses (sem habitação) registada em agosto foi de 1,12%. Trata-se do valor mais alto desde 2014, ano em que esta taxa se ficou pelo 0,99%.

Esta atualização abrange todos os contratos de arrendamento que não foram alvo de alterações no âmbito das regras do novo regime de arrendamento de 2012, ou seja, aplica-se todos os contratos novos ou antigos (incluindo os habitacionais anteriores a 1990 e os não habitacionais realizados antes de 1995). De fora do alcance deste aumento ficam apenas as rendas que não completaram ainda um ano, já que as regras ditam que o aumento apenas pode ser aplicado a partir do momento em que se verifica a sua renovação anual.

Nos últimos anos, as rendas têm registado uma significativa valorização, que ocorre no momento em que a casa é colocada de novo no mercado ou no momento da renovação do contrato. Este coeficiente permite apenas atualizar o valor da renda já em curso.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A administradora delegada da Media Capital, Rosa Cullell (E), acomapnhada pelo CEO da Altice Media, Alain Weill (2-E), do CEO do Grupo Altice, Michel Combes (2-D), e do Chairman e CEO da Portugal Telecom, Paulo Neves (D), fala durante uma conferência de imprensa sobre a compra da Altice sobre o grupo Media Capital,. Fotografia: ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Compra da TVI pelo Meo pode “criar entraves significativos à concorrência”

Foto: ANDRÉ KOSTERS / LUSA

Financial Times destaca “sucesso socialista” na recuperação de Portugal

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Casalinho quer alongar pagamento da dívida para evitar picos de reembolsos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Senhorios podem aumentar rendas em 1,12% no próximo ano