Operação Tax Free

Fisco: Cortes salariais são “culpados” da corrupção

O risco de tráfico de informação e aceitação de subornos aumentou devido aos cortes salariais sofridos pelos trabalhadores do fisco.

Os cortes salariais feitos aos trabalhadores dos impostos no período da “troika” são os responsáveis pelo aumento do risco de corrupção no fisco, defende Paulo Ralha, presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI).

”O grande risco para estas situações ocorrerem prende-se com os cortes salariais em determinadas profissões como na PJ, na AT e no próprio Ministério Público. É da natureza humana. Está mais do que provado na história humana que aumenta o risco de corrupção”, disse, ao Económico. A referida redução salarial fez-se sentir entre os mais de 70% de funcionários da Administração Tributária (AT) que, em 2013, auferiam mais de 1.500 euros, num total de 10.500 funcionários cujos salários foram reduzidos, em 2014, entre 8,6% e 12%.

Apesar daquela expetativa, o dirigente confessou-se “apanhado completamente de surpresa” no que se refere à Operação ‘Tax Free’ que culminou, ontem, com a detenção de 15 suspeitos por corrupção em repartições de Finanças. Três empresários, oito funcionários da Administração Tributária e quatro técnicos oficiais de contas são suspeitos de crimes de corrupção ativa e passiva para acto ilícito, recebimento indevido de vantagem e falsidade informática.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Fisco: Cortes salariais são “culpados” da corrupção