feira

SISAB volta a ser montra de produtos portugueses virados para a exportação

Mais de 6.000 produtos 'gourmet' produzidos por 450 empresas nacionais vão estar a partir de hoje no SISAB).

Mais de 6.000 produtos ‘gourmet’ produzidos por 450 empresas nacionais vão estar a partir de hoje no Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebidas (SISAB) para captar a atenção de importadores dos cinco continentes.

Ao todo serão cerca de 1.700 os compradores internacionais provenientes de 110 países que são esperados em Lisboa para visitar este certame direcionado para a exportação e que vai na 21.ª edição.

Agroalimentar, bebidas, frutas, vinho, produtos dietéticos e biológicos, doçaria, laticínios, azeite e flores são alguns dos setores em exposição, segundo a página da feira na Internet.

Trata-se de um evento com características únicas, líder de mercado no apoio à exportação das empresas que marcam presença no certame, possibilitando anualmente milhares de novos negócios em diferentes áreas geográficas. É uma feira de negócios e, por isso, não está aberta para visitantes, apenas para profissionais. Está, portanto, vedada às grandes superfícies comerciais e aos compradores do mercado nacional, bem como aos expositores de produção estrangeira.

Além de servir como uma plataforma de negócios, o SISAB pretende ser também uma mostra de gastronomia e dará oportunidade aos visitantes de degustarem produtos tradicionais e visitar pontos turísticos não só em Lisboa, mas também no Douro e Alentejo.

O último dia do evento, quarta-feira, será assinalado com uma visita do ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
SISAB volta a ser montra de produtos portugueses virados para a exportação