Mercados

Só uma 2ª onda da pandemia pode abalar retoma da economia

Apostar nas empresas de luxo afigura-se como uma boa aposta no período pós covid. Fotografia:  EPA/PAOLO SALMOIRAGO
Apostar nas empresas de luxo afigura-se como uma boa aposta no período pós covid. Fotografia: EPA/PAOLO SALMOIRAGO

O Bankinter considera que há atualmente uma oportunidade de curto prazo para comprar ações das empresas de luxo a preços low cost.

O Bankinter Portugal está otimista face a uma recuperação rápida das principais economias mundiais. A ação dos bancos centrais e governos, embora em dimensões diferentes, no lançamento de um conjunto de estímulos à economia para combater a crise do covid e a a melhoria da curva de infetados pelo novo coronavírus trás sinais para uma retoma célere. O mercado bolsista também já ultrapassou o crash de março e surgem agora boas oportunidades de investimento, assegura a instituição.

Segundo João Pisco, analista financeiro e de mercados do Bankinter Portugal, as bolsas “são o semáforo do que vai acontecer na economia real e já começaram a descontar que a recuperação pós covid será rápida”. Mas há uma incerteza no médio prazo, que pode deitar tudo a perder: a possibilidade de uma segunda onda pandémica.

Na sua opinião, o mercado já descontou o pior cenário e, agora, as atenções estão centradas na retoma económica. Como sublinhou esta manhã na apresentação de um research sobre “Ações antí vírus”, “já pouco importa o quão maus serão os dados económicos do 2º trimestre”, recordando que o crescimento das bolsas antecipa-se “cada vez mais cedo em relação à recuperação económica”. Índices como o S&P500 e o Nasdaq já demonstraram essa tendência.

Tecnologia e consumo
Neste cenário, os setores tecnológico e de consumo, com foco no segmento de luxo, destacam-se no momento como boas oportunidades de investimento nos mercados bolsistas americanos e europeus, afirmou João Pisco. Ao nível das empresas de tecnologia, o analista considera que há negócios que vão sair beneficiados desta crise que aumentou as necessidades de maior armazenamento na cloud, de procura de banda larga, de desenvolvimento do 5G, do e-commerce e de entretenimento online (TV streaming, redes sociais, videojogos). Por isso, recomenda a compra de ações de empresas como a Amazon, Microsoft, Alphabet, Netflix, Facebook, entre outras.

Este novo paradigma abre também oportunidades a empresas como a Intuitive Surgical, uma biotecnológica líder em cirurgia robótica. Na sua opinião é uma “opção de investimento atrativa, que junta dois temas que estão na ordem do dia: robótica e saúde”.

A indústria do luxo é outro dos setores onde João Pisco vê elevado potencial para investimento, sublinhando que há atualmente uma oportunidade para comprar ações das empresas de luxo a preços low cost. Como frisou, “há uma oportunidade clara de curto prazo para aproveitar esta queda de ações por culpa do covid”. Em abril, a LV/Dior viu as suas vendas crescerem mais de 50% na China. O Bankinter aconselha a compra de títulos de empresas como a LVMH, Kering, Adidas ou L’Oreal.

Segundo este research há ainda setores como a saúde, infraestruturas e elétricas a merecerem atenção.

EDP e REN em destaque
Já sobre o mercado bolsista português, João Pisco considera que “não é um bom momento para alocar a carteira a Portugal e aos países periféricos da Europa”, como Espanha e Itália. Ainda assim, aponta a EDP, REN e, a médio prazo, a Galp como opções atrativas ao investimento.

Entretanto, a plataforma Bankinter Broker alargou a sua ação a clientes empresas, que podem agora aceder a esta solução para investir em ações e ETF’s (conjunto diversificado de ativos), e obter informação de suporte para as decisões de investimento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

Humberto Pedrosa é o acionista do consórcio Gateway.

TAP: Humberto Pedrosa realça a não nacionalização da empresa

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

TAP: Sindicato do Pessoal de Voo espera que acordo proteja postos de trabalho

Só uma 2ª onda da pandemia pode abalar retoma da economia