Eleições legislativas 2019

Sondagem: PS sem maioria com três partidos “à mão”

O secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa, discursa durante um almoço-comício num restaurante em Évora. NUNO VEIGA/LUSA
O secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa, discursa durante um almoço-comício num restaurante em Évora. NUNO VEIGA/LUSA

Há ainda 13% dos portugueses que ainda não decidiram se vão votar ou em quem votarão, entre eles destacam-se os mais jovens.

Os socialistas vencerão as eleições legislativas, mas não com maioria absoluta. A conclusão é da sondagem realizada pelo ISCTE e pelo Instituto de Ciências Sociais (ICS) para o Expresso/SIC. O Partido Socialista perdeu força desde setembro, ao passo que os sociais-democratas recuperaram. A diferença que separa os dois partidos é de apenas 10 pontos.

Segundo os dados do inquérito, há ainda 13% dos portugueses que ainda não decidiram se vão votar ou em quem votarão, entre eles destacam-se os mais jovens.

Excluindo os abstencionistas (16%) e depois da imputação de indecisos e recusas (13%), a sondagem mostra que 38% dos portugueses pretende votar no PS e 28% no PSD. Seguem-se o Bloco de Esquerda (BE) com 10% de intenção de voto, o PCP-PEV com 7%, o CDS com 5% e o PAN com 3%.

 

Os intervalos de deputados apontados pela sondagem revelam que António Costa poderá ter no máximo 114 deputados – a dois de uma maioria. Não obtendo a maioria, o PS terá de negociar sempre com outros partidos.

“Mesmo assim, dependendo da margem da vitória (104 a 114 eleitos) e tendo em conta a margem de erro da sondagem (que pode levar o PS até 41%), o líder socialista terá ainda várias hipóteses à mão para escolher um ou diferentes maiorias: Bloco (seguramente), CDU (talvez) e PAN (menos provavelmente”, indica o Expresso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

Sondagem: PS sem maioria com três partidos “à mão”