Habitação

S&P prevê que Portugal lidere subida dos preços das casas

Fotografia: Global Imagens
Fotografia: Global Imagens

Standard & Poor’s estima que o preço das casas suba 9,5% em Portugal este ano. Crescimento deverá abrandar para 5% em 2021.

A Standard & Poor’s aposta no mercado imobiliário português como um dos que mais irão valorizar este ano. A agência de rating estima que os preços das casas aumentem 9,5% este ano. Nos dez países europeus analisados por esta entidade, apenas a Irlanda terá uma taxa de crescimento acentuada.

“A forte procura interna e externa, assim como a oferta limitada, deverá levar a uma subida de 9,5% no preço das casas este ano”, diz a equipa de analistas da S&P num relatório divulgado esta segunda-feira. Apesar da subida elevada, trata-se de um abrandamento face ao aumento de 10,5% dos preços no ano passado.

Quadro

E apesar de continuarem a valorizar, as subidas nos valores da habitação deverão ser mais moderadas até 2021. Nesse ano, a S&P estima que o preço das casas aumente 5%. Em 2019 e 2020 as subidas deverão ser de 7% e 6%, respetivamente. “Estimamos que as pressões no preço desçam gradualmente devido a crescimento mais lento e à subida dos custos de financiamento”, diz a agência.

Ainda assim, até 2021 apenas a Irlanda terá subidas mais acentuadas nos valores da habitação no grupo de países analisados pela S&P (Bélgica, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Países Baixos, Portugal, Espanha, Suíça e Reino Unido).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
S&P prevê que Portugal lidere subida dos preços das casas