s&p

Standard&Poor’s. Rating português pode cair dois níveis para “lixo”

Previsões para a Europa
Previsões para a Europa

A agência de ratings Standard & Poor’s baixou o rating soberano de França. “A França perdeu o seu triplo A”, afirma fonte do governo francês à agência France Presse.

Em Portugal, o corte do rating pode atingir dois níveis, de BBB- para BB, passando para um nível considerado “lixo”. Itália e Espanha poderão também descer dois níveis.

Portugal estava entre os países colocados sob perspectiva negativa pela
S&P. Em julho, já tinha sido considerado lixo pela Moody”s, decisão
seguida pela Fitch em novembro. Até agora apenas a S&P mantém o
rating de Portugal na escala BBB-.

Depois de várias de ameaças França perdeu a notação máxima, tal como Áustria, passando ambas para AA+. Ainda não foi, contudo, emitido qualquer comunicado por parte da agência de ratings americana.

A agência Reuters já tinha anunciado que a S&P estava a avançar com o corte dos ratings soberanos dos países da zona euro. Segundo a imprensa internacional, apenas Alemanha, Holanda e Luxemburgo terão sido poupados. A nota da Finlândia manteve-se também no triplo AAA, segundo confirmação de fontes governamentais junto da AFP.

“Mantenham-se alerta esta noite, quando o mercado americano fechar”, afirmava esta tarde fonte da S&P.

Em dezembro de 2011 a S&P colocou 15 países sob um outlook negativo (França e Alemanha estavam incluídos), e defendeu que o stress sistémico estava a aumentar à medida que as condições de crédito se tornavam mais difíceis entre os 17 da zona euro. Desde esse momento o Banco Central Europeu tentou conferir alguma liquidez à banca através de compra da compra de títulos a três anos.

Nessa altura a agência de rating afirmou que iria inclusivamente, descer o rating do Fundo de Estabilidade Económica e Financeira (FEEF).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: DR

Subida de comissões bancárias compensa descida dos spreads

. 
Foto: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Novas medidas preveem pagar IMI a prestações e simular custos da Justiça

António Serrano, nos estúdios da TSF. Professor catedrático e político português, foi Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XVIII Governo Constitucional de Portugal.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

António Serrano: “É preciso um choque de gestão no território florestal”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Standard&Poor’s. Rating português pode cair dois níveis para “lixo”