Inflação

Subida dos preços acelera em junho para 1,6%

Inflação caiu mais no Japão e no Canadá

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido de 1,6% em junho, contra 1% em maio.

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) terá sido de 1,6% em junho, contra 1,0% em maio, segundo a estimativa rápida divulgada esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A subida homóloga estimada do indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) é de 1,0%, face ao valor final de maio de 0,6%.

“O índice relativo aos produtos energéticos terá também acelerado, estimando-se uma taxa de variação homóloga de 7,4% em junho”, refere o INE.

A variação mensal estimada do IPC é 0,1% (em maio, o valor definitivo foi 0,4%) e a variação média dos últimos 12 meses de 1,1% (1,0% registado no mês precedente).

O INE estima que o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português tenha registado uma subida homóloga de 2,0%. O valor final de maio foi 1,4%.

O instituto divulgará os dados definitivos de junho no próximo dia 11 de julho.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

Motoristas em greve junto à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 16 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Subida dos preços acelera em junho para 1,6%