Suíços dizem não ao fim da livre circulação de pessoas com a UE

Projeção de resultados do referendo deste domingo aponta para rejeição do fim do acordo de livre circulação com a União Europeia.

Os suíços rejeitaram o fim da livre circulação de pessoas com a União Europeia (UE) no referendo deste domingo, de acordo com a projeção de resultados da estação televisiva SRF, que aponta para um desfecho de 63% contra 37%, avança a agência Reuters.

Já as agências de notícias AP e AFP, adiantam que as primeiras projeções do instituto de sondagens gfs-Bern, baseadas numa contagem parcial dos votos, sugerem também que a maioria dos suíços votou contra a iniciativa para uma restrição ao número de cidadãos europeus com permissão para viver e trabalhar no país.

A iniciativa da consulta tinha sido do Partido Popular Suíço (SVP, o maior partido com assento parlamentar) e está a ser vista como um teste para avaliar a forma como os suíços encaram os estrangeiros que compõem um quarto da população, entre eles a comunidade portuguesa.

Os apoiantes do referendo defendem que desde a instauração do acordo bilateral entre a Suíça e a UE, em 2002, o país assiste a uma imigração em massa que tem contribuído para o aumento do desemprego. A população estrangeira é considerada uma ameaça para a liberdade e prosperidade do país.

Se o resultado do referendo tivesse sido a favor do fim da livre circulação, o governo seria obrigado a revogar o acordo em vigor com UE, de acordo com o sistema de democracia direta em vigor na Suíça.

Com Lusa

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de