Madeira e mobiliário

Superavit cai quase 300 milhões em quatro anos

Foto: D.R.
Foto: D.R.

As exportações do setor português da madeira e mobiliário atingiram, no ano passado, os 2,6 mil milhões de euros, um crescimento de 4,3%, e as importações aumentaram 5,7%, para 1,9 mil milhões, revelou a Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal (AIMMP).

“Em 2015, tínhamos uma balança comercial com um superavit de 900 milhões, mas até 2019 perdemos quase 300 milhões”, realça Vítor Poças, presidente da AIMMP. Ainda assim, o saldo é positivo em mais de 600 milhões.

Este incremento das importações “resulta da recuperação económica do país”, com os portugueses a “ganharem fôlego para consumir mais”, justifica o responsável. O boom do turismo foi também uma alavanca deste crescimento contínuo das compras de produtos de madeira e mobiliário ao exterior.

Vítor Poças lembra que importações portuguesas de bens têm vindo a aumentar, tendo fechado 2019 com um crescimento de 6,6%, após um aumento de 8,1% em 2018. Na sua opinião, estes dados estão interligados com a mensagem do fim da austeridade e do incentivo ao consumo.

O presidente da AIMMP lembra que ainda na semana passada o Banco de Portugal divulgou que o crédito ao consumo atingiu os 5,2 mil milhões em 2019.

Setor de milhões
O setor da madeira e mobiliário tem um volume de negócios global que ultrapassa os 3,7 mil milhões de euros, com a exportação a valer 2,6 mil milhões. Segundo Vítor Poças, a crise que assolou o país obrigou “as empresas a pegarem nas malinhas e a ir trabalhar outros mercados. A grande maioria das exportações tem por destino os países da União Europeia, com Espanha, França e Reino Unido a liderarem as compras de artigos de madeira e mobiliário português.

Segundo os dados da AIMMP, a indústria do setor exportou 707 milhões de euros de madeira e obras de madeira em 2019, mais 8% que em 2018, e 1,9 mil milhões de mobiliário, colchoaria e iluminação, um aumento de 3%.

 

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A Poveira, conserveira. Fotografia: Rui Oliveira / Global Imagens

Procura de bens essenciais dispara e fábricas reforçam produção ao limite

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

Quase 32 mil empresas recorrem ao lay-off. 552 mil trabalhadores em casa

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

266 mortos e 10 524 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Superavit cai quase 300 milhões em quatro anos