Inflação

Taxa de inflação homóloga na OCDE mantém-se estável nos 2,3% em abril

É o terceiro mês consecutivo de queda dos preços na Zona Euro.

A inflação homóloga no conjunto dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) manteve-se estável nos 2,3% em abril.

A inflação homóloga no conjunto dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) manteve-se estável nos 2,3% em abril, embora com tendências opostas entre os vários componentes de preços, foi divulgado esta terça-feira.

Em abril, o aumento homólogo dos preços da energia acelerou para 6,1%, mais oito décimas do que a variação homóloga de 5,3% registada em março, enquanto a subida dos preços da alimentação abrandou de 1,7% para 1,6%, indica a OCDE em comunicado.

Excluindo os elementos mais voláteis, que são os preços da energia e da alimentação, a inflação subjacente homóloga foi de 1,9% em abril, contra 2,0% em março.

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) abrandou em abril em países como o Japão (de 1,1% para 0,6%), Itália (de 0,8% para 0,5%) e, embora marginalmente, Canadá (de 2,3% para 2,2%) e Reino Unido (de 2,3% para 2,2%).

Em sentido contrário, os preços aumentaram ligeiramente nos EUA (de 2,4% para 2,5%) e mantiveram-se estáveis em França e na Alemanha (ambos nos 1,6%).

Na zona euro, a taxa de inflação abrandou uma décima para 1,2% em abril.

As taxas de inflação mais altas dos 35 Estados-membros da OCDE foram registadas na Turquia (10,8%) e no México (4,6%).

Fora da OCDE, a taxa de inflação mais alta nos grandes países emergentes do G20 voltou a ser, com uma grande diferença, a da Argentina, com 25,5%.

Em abril, a inflação desacelerou na Índia (de 4,4% para 4,0%), China (de 2,1% para 1,8%) e Arábia Saudita (de 2,8% para 2,5%), tendo-se mantido estável na Indonésia (nos 3,4%) e na Federação Russa (nos 2,4%) e aumentado na África do Sul (de 3,7% para 4,3%), Brasil (de 2,7% para 2,8%) e Argentina (de 25,4% para 25,5%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Governo ganha 128 milhões de euros em receita com aumentos da função pública

Autoridade para as Condições do Trabalho

Inspetores do Estado contra “140 anos para chegar ao topo da carreira”

Fotografia: Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens

Incentivos fiscais à inovação dão 200 milhões às empresas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Taxa de inflação homóloga na OCDE mantém-se estável nos 2,3% em abril