pagamentos eletrónicos

Táxis de Lisboa passam a ter solução de pagamento automático

Fotografia: Fernando Pereira/ Global Imagens
Fotografia: Fernando Pereira/ Global Imagens

Taxistas de Lisboa vão passar a dispor de nova funcionalidade de pagamento através de um terminal que permite aos passageiros a utilização de cartão

Os taxistas de Lisboa vão passar a dispor de uma nova funcionalidade de pagamento, através de um terminal que permite aos passageiros a utilização de cartão multibanco, foi hoje divulgado.

Numa parceira entre a ANTRAL (Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros), myPOS, a CNTD (Central Nacional de Táxis Digital) e a Mastercard, a nova solução de pagamento pretende “responder às mais modernas exigências e desafios acerca dos pagamentos nos serviços de táxi”.

De acordo com Paulo Raposo, administrador da Mastercard em Portugal, a solução agora disponibilizada permite transações com cartão de crédito ou débito e pagamentos sem ser em dinheiro vivo, através da instalação no táxi de um terminal myPOS.

“A grande vantagem é a disponibilização dos fundos de forma imediata, além de que os taxistas vão poder emitir a fatura, física ou eletrónica, através do próprio terminal”, explicou à Lusa.

Além disso, acrescentou, o taxista passa a não circular com dinheiro vivo no táxi, sendo que tem dinheiro disponível digitalmente.

“Esta solução representa mais conveniência para os passageiros dos táxis portugueses, especialmente porque a Mastercard percebe que os utilizadores estavam ansiosos pelo aumento do número de táxis com a possibilidade de aceitação de pagamentos eletrónicos. Esta solução será também extremamente prática para o número crescente de turistas que visita Portugal, dado que poderão, a partir de agora, pagar o táxi com qualquer tipo de cartão”, concluiu.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Sarah Costa/Global Imagens

Tomás Correia, Montepio e BNI Europa. O que está por detrás das buscas

A coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila
(TIAGO PETINGA/LUSA)

Frente Comum diz que é “inaceitável” negociar salários depois do orçamento

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos. MÁRIO CRUZ/LUSA

CGTP apela ao PM para negociar salários no Estado antes do Orçamento

Táxis de Lisboa passam a ter solução de pagamento automático