financiamento

Tesouro paga mais de 2% para se financiar a dez anos

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens
Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

O Estado financiou-se em 1,25 mil milhões de euros em títulos a cinco e a dez anos, o montante máximo pretendido. Juros subiram no prazo mais longo.

Portugal pagou mais para se financiar a dez anos mas obteve juros mais baixos para pedir dinheiro emprestado num prazo de quase cinco anos. O Tesouro foi ao mercado esta quarta-feira e financiou-se em 1,25 mil milhões de euros, o montante máximo pretendido para esta operação de financiamento.

Nos títulos a dez anos foram colocados 760 milhões de euros, segundo dados do IGCP. A taxa de juro foi de 2,046%. No último leilão comparável, realizado em novembro do ano passado, o preço tinha sido de 1,939%. A procura mais que duplicou a oferta. Em janeiro, o Tesouro tinha-se financiado em quatro mil milhões de euros numa operação com recurso a sindicato bancário. O juro tinha sido de 2,137%.

Nas obrigações com maturidade em outubro de 2022, a agência que gere a dívida pública (IGCP) colocou 490 milhões de euros. A procura mais que triplicou a oferta e o juro foi de 0,577%. Na última operação comparável, em novembro do ano passado, a taxa tinha sido de 0,916%.

“Os resultados aparentam ser relativamente fortes”, diz Anne Karina Asbjorn, analista do Nomura ao Dinheiro Vivo. Apesar da subida da taxa a dez anos, Paulo Rosa, senior trader do Banco Carregosa, diz, numa nota enviada às redações, que o juro limitou-se a “seguir os dados do mercado secundário, que atualmente apresenta uma taxa de 2,09% para este prazo. A taxa subiu face à última emissão, mas isso é o que tem acontecido com as taxas das dívidas soberanas mais recentemente, como a Alemanha, dada a expectativa de subida de juros”.

Já em relação à descida dos juros na linha de obrigações com maturidade em 2022, Paulo Rosa explica que “formalmente, temos uma descida acentuada face à taxa da última emissão comparável. Mas é uma comparação um pouco artificial porque a última vez que Portugal emitiu dívida a cinco anos foi em outubro passado, antes de um período de queda acentuada nos juros”.

Atualizada às 11:42

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento pode trazer novo alívio de 200 milhões de euros no IRS

Ponte 25 de Abril

Atrasos no concurso não comprometem arranque das obras na Ponte 25 de Abril

LEONARDO NEGRAO /Global Imagens

Grupo português investe 80 milhões na compra da Toys “R” Us Iberia

Outros conteúdos GMG
Tesouro paga mais de 2% para se financiar a dez anos