Reino Unido

Theresa May cancela voto parlamentar ao tratado do brexit

Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido. Fotografia: REUTERS/Simon Dawson
Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido. Fotografia: REUTERS/Simon Dawson

O chumbo à proposta era dado como quase certo, com forte oposição entre os próprios Conservadores.

A primeira-ministra britânica Theresa May terá cancelado os planos para a votação, pela Câmara dos Comuns, amanhã, da proposta de tratado com a UE para a saída do grupo.

A notícia está a ser avançada pelo Financial Times, que cita fontes próximas de ministros do governo de Londres. Ainda esta manhã, o gabinete de May tinha afirmado que a votação, da qual se esperava uma derrota com uma oposição importante da parte dos próprios conservadores, iria acontecer tal como planeada.

A decisão avançada pelo FT acontece depois de o Tribunal Europeu de Justiça ter dito que o Reino Unido ainda pode recuar unilateralmente nos procedimentos de saída.

Segundo a decisão do TSE, o Reino Unido não precisa da autorização dos restantes Estados-membros para suspender o efeito da notificação que acionou o artigo 50ª do Tratado de Lisboa – ou seja, recuar na intenção de deixar a União Europeia.

O tribunal do Luxemburgo confirmou assim que o processo iniciado com a cláusula de saída do bloco dos 28 pode ser invertido unilateralmente.

Londres “pode revogar unilateralmente a notificação, de modo inequívoco e incondicional, com um aviso dirigido ao Conselho Europeu por escrito” e após a decisão ter siso tomada “de acordo com os requisitos constitucionais” britânicos.

“O objetivo da revogação é confirmar a qualidade de membro da UE do Estado-membro em causa em termos inalterados no que diz respeito ao seu estatuto de Estado-membro, e a revogação põe termo ao procedimento de retirada”, refere a decisão do tribunal.

A intenção de cancelar a notificação foi ainda rejeitada durante o fim de semana por Downing Street, mas várias vozes têm vindo a defender o recuo como meio de renegociação de um melhor tratado de saída da União pelo governo britânico.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

Rendas na energia: João Matos Fernandes encontrou “ambiente crispado”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Theresa May cancela voto parlamentar ao tratado do brexit