Todas as pensões até 658 euros vão ter aumento em dez euros a contar de janeiro

Atualização extraordinária de 10 euros vai desta vez abranger também pensões mínimas, sociais e rurais, assegurou ministra Ana Mendes Godinho, após acordo com PCP.

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, anunciou esta segunda-feira que as pensões mais baixas atualizadas nos anos da troika vão também ser abrangidas por uma atualização extraordinária no valor de dez euros - ao contrário dos anos anteriores, em que receberam apenas um impulso de seis euros.

A informação foi avançada em resposta ao deputado do CDS-PP, João Almeida, durante a audição da governante a propósito da proposta do Orçamento do Estado de 2021, depois de a ministra ter sido questionada sobre os motivos de exclusão das pensões "mais baixas entre as mais baixas" do valor maior de atualização extraordinária garantido às pensões de valor até 658,2 euros, correspondendo a 1,5 indexantes de apoios sociais (IAS).

Nos últimos anos, o governo tem vindo a assegurar uma atualização extraordinária em seis euros para as pensões mínima, social, e rural - atualizadas nos anos da troika - e em dez euros para as restantes pensões com valores equivalentes a 1,5 IAS.

Nas contas do CDS-PP, tal resultou numa perda relativa nas atualizações de 4,41 euros, 5,61 euros e 7,99 euros nas pensões mínima, rural e social, respetivamente, com o deputado João Almeida a questionar o racional do governo.

"A preocupação que tem havido tem sido aumentar todas as pensões mis baixas. Naturalmente, procurando aqui um equilíbrio que reconhecesse também uma diferenciação daquelas que precisavam de um aumento maior porque não tinham sido aumentadas pelo governo PSD CDS. Em qualquer caso, e fruto das negociações e diálogo que tem havido com o Partido Comunista Português, a atualização que neste momento prevemos para 2021 é uma atualização de dez euros para todos e a partir de janeiro", respondeu Ana Mendes Godinho.

Na estimativa do governo, a atualização deverá chegar a 1,9 milhões de pensionistas. Já para os restantes pensões não deverá haver em 2021 qualquer atualização. A fórmula de cálculo das atualizações anuais de pensões contabiliza o crescimento económico e a inflação (sem habitação), que não se registam no curso deste ano.

Atualizado às 17h31

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de