Coronavírus

Tranquilidade antecipa pagamentos a parceiros na saúde

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

A Tranquilidade vai antecipar pagamentos a agentes, fornecedores e prestadores de cuidados de saúde, informou a empresa, estimando que o programa de antecipação de pagamentos ascende a 50 milhões de euros.

Em comunicado hoje divulgado, a Tranquilidade diz que mensalmente faz pagamentos de cerca de 100 milhões de euros e que o programa de antecipação de pagamentos permite apoiar a sua rede de parceiros e fornecedores num momento particularmente complexo em termos de liquidez”, devido ao abrandamento da atividade económica provocado pela Covid-19.

A seguradora disse ainda que tomou medidas para que os agentes sejam mais ágeis e deem aos clientes “proteção e garantias ajustadas à sua situação atual”, como alargamento dos prazos de anulação de apólices, ajustamento das regras de subscrição dos seguros e alargamento de garantias, abrangendo seguros automóvel, de saúde, de acidentes de trabalho ou de vida.

A empresa alargou a cobertura de acidentes de trabalho para os trabalhadores de empresas em regime de teletrabalho e para os restaurantes que funcionam com entrega venda para fora. Também a cobertura de equipamento eletrónico foi estendida para o regime de teletrabalho.

A Tranquilidade indicou ainda que os seguros de saúde cobrem os custos dos testes de diagnóstico quando há prescrição médica e lançou um seguro de saúde Covid-19 para as empresas disponibilizarem aos trabalhadores.

Em janeiro deste ano, o grupo italiano Generali concretizou a compra de 100% da companhia Seguradoras Unidas (Tranquilidade, Açoreana e LOGO) e da prestadora de serviços de saúde AdvanceCare, que pertenciam ao fundo de investimento Apollo, num negócio estimado em 600 milhões de euros pela agência financeira Bloomberg.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: PATRICIA DE MELO MOREIRA/AFP

Exportações e turismo afundam 9,6% e geram recessão de 2,3% no 1º trimestre

Cartões de crédito e débito. Fotografia: Global Imagens

Malparado: 10% das famílias com crédito está em incumprimento

Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Um quarto das empresas de alojamento e restauração está em incumprimento

Tranquilidade antecipa pagamentos a parceiros na saúde