digital

Três dias em Cascais para conhecer o maravilhoso mundo digital

(c) EYA/Eva
Puella
(c) EYA/Eva Puella

Fundado na Áustria e agora chegado a Portugal, o congresso do World Summit Award reúne algumas das mais disruptivas empresas e empreendedores

Há uma aplicação que ajuda as mulheres paquistanesas, soluções que usam a Internet of Things (IoT) para orientar pessoas cegas ou para melhorar o e-commerce no Sri Lanka e plataformas de mobile learning com base em inteligência artificial nascidas da carência e engenho dos quenianos. A lista é bem diversificada mas tem um ponto em comum: aqui se reúnem empresas e empreendedores inovadores cujas criações pretendem recorrer à inovação digital para tornar mais fácil a vida de quem vive na pele os desafios sociais do século XXI.

Estas — Girlythings, Slovenian Feelif, Grasshoppers, MShule — e outras empresas e empreendedores da era digital estão reunidos a partir de segunda-feira, sob o chapéu da inovação digital, no World Summit Award (WSA) Global Conference Cascais 2019. A estrear-se em Portugal, no âmbito da ONU e em parceria com a APDC, a Câmara de Cascais, a Nova SBE e o Turismo de Portugal, durante três dias passarão pelo campus da Nova de Carcavelos projetos e ideias que usam as Tecnologias de Informação e da Comunicação para resolver questões locais e sociais.

“Com participantes de mais de 80 países-membros da ONU, o WSA Global Congress reúne uma rede mundial de empreendedorismo com um propósito, criar impacto social sustentável”, explica o presidente da WSA. “No evento, teremos a oportunidade de nos inspirarmos em líderes que estão a impulsionar a inovação digital, com soluções com impacto e benefícios para a sociedade e esperamos dar as boas-vindas a um público motivador em Portugal”, completou Peter A. Bruck.

Nestes três dias, então, estarão em destaque estarão os 40 projetos vencedores nas oito categorias a concurso do World Sumit Awards, vindos de 26 países e selecionados de 430 candidaturas de um total de 182 países participantes, bem como as soluções do WSA Young Innovators. A organização expica que o congresso se assume como “um hub global que junta empreendedores, líder mundiais e locais e peritos das TIC para refletir sobre o poder transformador da tecnologia, o papel disruptor da inovação e a forma como estão a impactar positivamente a sociedade e a economia”.

Palestras, workshops e conferências protagonizadas por empreendedores do mundo inteiro compõem um programa que se desenvolve entre os dias 11 e 13 (veja aqui os detalhes).

A app City Points Cascais, desenvolvida em parceria entre Cascais e a portuguesa InnoWave Technologies, é bom exemplo do tipo de projetos que aqui se destacam — foi este um dos vencedores da última edição do WSA, na categoria de Government & City Engagement e alcançando também lugar como um dos oito Global Champions finais, entre 400 nomeações com origem em 180 países. Neste ano, a edição de Cascais espera a presença de mais de 500 especialistas em tecnologias de informação e comunicação, representantes governamentais do mundo inteiro e investidores internacionais oriundos do setor privado, que vão avaliar as soluções vencedoras apresentadas nos três dias do evento, selecionando de entre elas aquelas em que pretendem investir.

Reunido neste ano, de segunda a quarta-feira, na Nova SBE de Carcavelos, esta é a fase ficanl das quatro por que passa o WSA — a seleção dos projetos candidatos ao nível nacional em cada um dos 178 países, num total de oito por cada uma das categorias a concurso; a shortlist dos 15 a 18 melhores projetos em cada uma das categorias; a seleção dos 40 finalistas; e enfim a realização do WSA Global Congress, onde são eleitos os oito Global Champions, um por categoria.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Teste - Redação DV

Liberdade e sustentabilidade dos media, com ou sem apoio do governo?

Regime dos residentes não habituais garante isenção de IRS a quem recebe pensões do estrangeiro.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Primeiros 18 residentes não habituais prestes a perder benefício

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Três dias em Cascais para conhecer o maravilhoso mundo digital