ética

Três secretários de Estado viajaram a convite da Galp

Foto: Filipe Amorim / Global Imagens
Foto: Filipe Amorim / Global Imagens

A Galp esclareceu hoje que "é comum" e eticamente aceitável convidar para determinados eventos entidades com que se relaciona

O secretário de Estado da Internacionalização, Jorge Costa Oliveira, confirmou hoje ter viajado a convite da GALP para assistir ao jogo da seleção nacional de futebol durante o campeonato europeu e disse estar “em curso” o pagamento das despesas.

Em comunicado enviado à Lusa, fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) referiu que o secretário de Estado da Internacionalização se deslocou a Lyon, França, “a convite da GALP, enquanto patrocinadora da seleção nacional, para assistir ao jogo com a Hungria”.

“O gabinete do secretário de Estado da Internacionalização já informou a Galp da intenção do secretário de Estado da Internacionalização de pagar todas as despesas relativas a esta deslocação, estando em curso o respetivo processo de pagamento”, adiantou a mesma fonte.

Na quarta-feira, a revista Sábado avançou com a notícia da viagem do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, adiantando que o governante tem sob a sua tutela a resolução de um conflito fiscal milionário que opõe o Estado português à Galp.

Além de Rocha Andrade, o secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, confirmou hoje à Lusa que viajou para o Euro2016 a convite da Galp, enquanto entidade patrocinadora da seleção nacional, mas esclareceu que pagou um bilhete de avião.

Também hoje o gabinete do primeiro-ministro, António Costa, informou que não comenta o caso da viagem de Rocha Andrade paga pela Galp, para assistir a dois jogos do europeu, remetendo para as declarações do próprio secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, o qual considera que não há conflito de interesses.

Rocha Andrade já tinha vindo dizer que pretende reembolsar a Galp da despesa da viagem, embora encare com normalidade ter aceitado o convite da empresa.

O CDS pediu na quarta-feira a demissão do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais por considerar “reprovável e grave” que tenha viajado a convite da Galp para assistir a jogos da seleção de futebol.

O constitucionalista Jorge Miranda defendeu o mesmo, considerando que a atitude de Rocha Andrade é inadmissível e revela “uma falta de ética espantosa”.

O PSD questionou hoje o primeiro-ministro sobre a viagem de Rocha Andrade paga pela Galp.

O PCP, pela voz do dirigente Jorge Pires, considerou as deslocações do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais uma “atitude criticável”, considerando que cabe ao primeiro-ministro, ao Governo e ao próprio tirar ilações.

Já o Bloco de Esquerda classificou de “eticamente reprovável” que governantes ou deputados aceitem “presentes que legitimem a promiscuidade com grandes grupos económicos”, defendendo que o comportamento deve ter “consequências políticas”.

A Galp esclareceu hoje que “é comum” e eticamente aceitável convidar para determinados eventos entidades com que se relaciona, na sequência do caso que envolve o secretário de Estado Rocha Andrade no âmbito do Campeonato Europeu/2016.

O Ministério Público está a “recolher elementos” sobre a viagem do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais para apurar se há “procedimentos a desencadear no âmbito das respetivas competências”, revelou a Procuradoria-geral da República.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA)

Lentidão nos reembolsos fazem disparar IRS em plena crise

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP sem contrato com Estado só tem dinheiro até junho

avião da TAP

PS desafia TAP a corrigir plano de rotas áreas que “lesa interesse nacional”

Três secretários de Estado viajaram a convite da Galp