Taxas aduaneiras

Trump ameaça taxar importações de automóveis caso UE não negoceie de “boa-fé”

Donal Trump. Fotografia: EPA/MICHAEL REYNOLDS
Donal Trump. Fotografia: EPA/MICHAEL REYNOLDS

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou hoje aplicar tarifas às importações de automóveis oriundas da União Europeia (UE).

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou aplicar tarifas às importações de automóveis oriundas da União Europeia (UE), caso os representantes comunitários não negoceiem de “boa-fé” na visita a Washington.

“No dia 21 [de julho], vou receber a visita do presidente da Comissão Europeia para abordarmos a questão das taxas alfandegárias. Se as negociações não decorrerem de boa-fé, vamos ter de rever a situação dos milhões de carros que entram nos Estados Unidos quase sem pagar impostos”, disse Donald Trump.

O Presidente norte-americano, que falava no final da cimeira da NATO, que decorreu entre quarta-feira e esta quinta em Bruxelas, queixou-se repetidamente do tratamento injusto da UE aos Estados Unidos no âmbito do comércio.

O presidente do executivo comunitário, Jean-Claude Juncker, vai deslocar-se a Washington a 21 de julho para se encontrar com Trump, com o comércio como tema principal.

As relações entre a UE e os Estados Unidos estão tensas, não só devido às taxas alfandegárias impostas por Washington às importações de aço e alumínio — e já retaliadas pelo bloco europeu –, mas também pela retirada do Acordo de Paris sobre o clima e do celebrado com o Irão sobre armas nucleares.

Em 02 de julho, a Comissão Europeia considerou que a investigação do Departamento de Comércio dos Estados Unidos às importações de automóveis carece de legitimidade e de dados factuais, e viola o direito internacional.

“Qualquer medida restritiva comercial que possa resultar desta investigação, seria contrária às leis do comércio internacional. Os carros europeus não ameaçam ou afetam a saúde da indústria automóvel e da economia norte-americanas”, alertou nesse dia o porta-voz do executivo comunitário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, da Administração e do Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca (E), dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (2-E), do Orçamento, João Leão (2-D), e do Tesouro, Álvaro Novo (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Conheça as principais medidas do Orçamento do Estado para 2019

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (E), do Orçamento, João Leão (2-D), e o Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Dos partidos aos sindicatos, passando pelo PR, as reações ao OE 2019

Outros conteúdos GMG
Trump ameaça taxar importações de automóveis caso UE não negoceie de “boa-fé”