Conflito

Trump anuncia “aumento substancial” de sanções contra o Irão

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. REUTERS/Tom Brenner
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. REUTERS/Tom Brenner

Novas sanções, cuja natureza ainda estão por ser detalhadas, serão adicionais às medidas punitivas já impostas por Washington a Teerão.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou, esta quarta-feira, que ordenou um “aumento substancial” nas sanções contra o Irão, após os ataques de sábado a instalações petrolíferas sauditas pelas quais os norte-americanos responsabilizam Teerão.

“Acabei de instruir o secretário do Tesouro a aumentar substancialmente as sanções contra o Irão”, disse o Trump numa mensagem publicada na sua conta no Twitter, três dias após os ataques a instalações de exploração de petróleo na Arábia Saudita.

Essas sanções, cuja natureza ainda estão por ser detalhadas, serão adicionais às medidas punitivas já impostas por Washington a Teerão desde que o Presidente norte-americano retirou o seu país em maio de 2018 do acordo nuclear iraniano.

O Presidente dos Estados Unidos considera este acordo – assinado em Viena, entre o Irão, Estados Unidos e outros países em 2015 – insuficiente para impedir que a República islâmica consiga produzir a bomba atómica e desestabilize o Médio Oriente.

Donald Trump, que tem sido menos categórico do que membros da sua administração nos últimos dias sobre a responsabilidade do Irão nos ataques de sábado, embora tenha confirmado que era o principal suspeito, disse no domingo que estava “pronto a responder” e que dispunha de muitas “opções”.

O chefe de diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, é esperado hoje em Jeddah para discutir com o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman a resposta a dar aos ataques.

O Governo iraniano advertiu oficialmente os Estados Unidos de que vai responder de forma “imediata” a qualquer agressão, reagindo assim à posição de Washington.

“Caso venha a ser levada a cabo qualquer ação contra o Irão haverá uma resposta imediata e o alcance da resposta não se vai limitar a uma ameaça”, refere uma nota oficial publicada hoje na imprensa iraniana.

Na nota, o governo iraniano sublinha que os ataques contra a Aramco “não foram obra do Irão”, condenando e desmentindo as acusações do Presidente norte-americano e de Pompeo.

Os ataques foram reivindicados pelos rebeldes iemenitas Huthis que anteriormente já tinham lançado vários ataques contra a Arábia Saudita como retaliação pela intervenção da coligação liderada pelos sauditas na guerra que o país enfrenta desde 2015.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, durante a inauguração das Escadinhas da Saúde rolantes, ao Martim Moniz. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

Crescimento do turismo em 2019 é o mais baixo desde a última crise

brisa_portagens-b7ee34aaf5a5ef94353b303799540f81215c701e

Brisa na mira da maior construtora do mundo

António Costa (E) e Charles Michel (D). Fotografia: EPA/JOHN THYS

Costa usa gráfico onde países “forretas” são dos mais beneficiados pela UE

Trump anuncia “aumento substancial” de sanções contra o Irão