Guerra comercial EUA-China

Trump assina acordo inicial com China para evitar tarifas

Trump Xi China
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, e Xi Jinping, presidente da China. Foto: Reuters

Acordo inicial está garantido, indicam meios americanos, o que permite evitar entrada em vigor de tarifas pesadas para a China

Os Estados Unidos e a China estabeleceram os termos finais para um acordo comercial ainda em primeira fase, aproximando os dois países de um muito aguardado e várias vezes adiado pacto, que o presidente Trump anunciou inicialmente em outubro.

A notícia foi inicialmente dada pela Bloomberg e, entretanto, confirmada pelo New York Times. Trump reuniu-se com seus principais assessores económicos na Casa Branca e terá assinado o princípio de acordo, evitando assim a introdução de uma nova onda de tarifas dos EUA à China de cerca de 160 mil milhões de dólares em bens de consumo, que iria entrar em vigor a 15 de dezembro.

Diz o New York Times que os EUA esperam, com o acordo, que os chineses comprem bens agrícolas americanos e façam ainda outras concessões. Os termos foram acordados, mas o texto final ainda não foi finalizado. A Casa Branca ainda não comentou o tema, mas um tweet de Trump logo após a abertura da bolsa de Nova Iorque fez as ações dispararem.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

Trump assina acordo inicial com China para evitar tarifas