Turismo continua a crescer. Receitas por quarto aumentam 8%

Taxa de ocupação foi de 56,7% no primeiro semestre
Taxa de ocupação foi de 56,7% no primeiro semestre

O turismo continua a dar sinais positivos e a afirmar-se como um dos principais motores da economia portuguesa. No primeiro semestre do ano, a taxa de ocupação da hotelaria nacional foi de 56,7%, um aumento de 2,95 pontos percentuais face ao período homólogo do ano passado. Já o preço médio por quarto disponível foi de 35,82 euros, mais 7,37% face ao ano anterior, enquanto a receita total por quarto disponível aumentou 8,05% no primeiro semestre, para 54,39 euros.

Os dados são divulgados esta terça-feira pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que dá conta de uma quebra nos resultados em junho, apesar dos números positivos no acumulado dos seis primeiros meses do ano. Em junho, a subida de 1,49 pontos percentuais da taxa de ocupação, para 72,02%, não foi suficiente para compensar o preço médio por quarto ocupado, que caiu 2,5% face a junho de 2013, para 69,40 euros.

Leia também: Número de dormidas na hotelaria cresce 11,4% no primeiro semestre

No período em análise, “houve um crescimento claro dos indicadores da hotelaria, face ao ano anterior, pelo que estamos no bom caminho”, acredita Cristina Siza Vieira. Ainda assim, a presidente da direção executiva da AHP salienta que “um preço médio por quarto disponível de 35,82 euros, uma taxa de ocupação que deixa 40% dos quartos vazios e as acentuadas assimetrias regionais demonstram o muito que há a fazer”. Até porque, defende, “os preços praticados são muito abaixo do real valor da qualidade da nossa oferta hoteleira e da excelência do destino Portugal que vêm sendo reconhecidos”.

Os hóspedes nacionais representaram 42% do total de hóspedes no primeiro semestre, sendo os restantes 58% estranegiros. Lisboa, Madeira e Porto foram os destinos de eleição dos turistas, com taxas de ocupação de 80,5%, 79,36% e 74,9%, respetivamente. Já os destinos com o preço médio por quarto elevado mais elevado foram Lisboa (82,66 euros, que ainda assim registou uma quebra de 9,34% face aos preços médios em junho de 2013), Estoril (78,41 euros) e Algarve (72,63 euros).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Moratórias bancárias estendidas até final de setembro de 2021

Turismo continua a crescer. Receitas por quarto aumentam 8%