transportes

Uber tem uma oferta de paz para as cidades onde opera

Os dados de mais de dois mil milhões de viagens realizadas em quase sete anos foram utilizados para criar um software inovador.

A controversa Uber fez uma oferta de paz às cidades, nem sempre pacíficas quanto à atividade da plataforma eletrónica que coloca motoristas particulares em contacto com passageiros que precisam de deslocar-se. Ao cabo de quase sete anos de atividade, a Uber reuniu a informação de dois mil milhões de viagens e criou a Uber Movement.

A informação recolhida sobre as viagens efetuadas – preservando sempre o anonimato dos viajantes e dos motoristas, garante a empresa – está incluída num software desenvolvido por uma equipa de dez engenheiros que permite visualizar as artérias mais congestionadas conforme as horas, os dias ou mesmo os anos, permitindo inclusive avaliar, por exemplo, o impacto do encerramento do metro em Washington.

A ferramenta é oferecida às autoridades municipais para que possam “tomar decisões informadas sobre como adaptar as infraestruturas existentes e investir em soluções futuras para tornar as nossas cidades mais eficientes”, como explica o site da Uber Movement.

A partir de meados de fevereiro, a Uber Movement será acessível ao público em geral em todas as cidades onde o tráfego da Uber permita obter dados fiáveis e que garantam o anonimato, num histórico de viagens a partir de 2016. Por agora, está disponível para “especialistas governamentais, profissionais de transportes e organizações académicas de todo o mundo”, com dados carregados para as cidades de Manila, Sidney e Washington, estando prevista a inclusão de várias dezenas de cidades antes da abertura ao público.

“Não gerimos as ruas. Não planeamos infraestruturas”, justificou o responsável do departamento de transportes da Uber, Andrew Salzberg. “Por que ficaríamos com isto guardado quando podemos oferecer imenso valor às cidades onde trabalhamos?”, rematou.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Uber tem uma oferta de paz para as cidades onde opera