Ambiente

UE aprova formalmente proibição de plásticos descartáveis até 2021

Plástico

Pratos, talheres, palhinhas, varas para balões e cotonetes feitos de plástico de utilização única serão proibidos até 2021.

A União Europeia (UE) aprovou hoje formalmente a proibição até 2021 do uso de determinados produtos de plástico de utilização única, como as palhinhas, varas de balões e cotonetes.

De acordo com as novas regras hoje aprovadas pelo Conselho da UE, os pratos, os talheres, as palhas, as varas para balões e os cotonetes feitos de plástico de utilização única serão proibidos até 2021.

A diretiva (lei europeia) relativa aos plásticos de utilização única assenta na legislação da UE em matéria de resíduos atualmente em vigor, mas, segundo um comunicado do Conselho, vai mais além ao estabelecer normas mais rigorosas para os tipos de produtos e embalagens que se encontram entre os dez principais elementos poluentes encontrados nas praias europeias.

As novas regras proíbem a utilização de certos produtos de plástico descartáveis para os quais existem alternativas e introduzem medidas específicas para reduzir a utilização dos produtos mais frequentemente descartados.

Os produtos de plástico de utilização única são feitos total ou parcialmente de matéria plástica e destinam-se em geral a serem utilizados uma única vez ou durante um curto período de tempo antes de serem deitados fora. Os Estados-membros acordaram em alcançar até 2029 o objetivo de recolha de 90% para as garrafas de plástico, e estas terão de conter, pelo menos, 25% de material reciclado até 2025 e 30% até 2030.

A decisão de hoje do Conselho da UE é a última etapa do processo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

Constâncio: Risco para a estabilidade no crédito a Berardo era “problema da CGD”

Outros conteúdos GMG
UE aprova formalmente proibição de plásticos descartáveis até 2021