Tarifas Comerciais

UE avisa que não negoceia sob ameaça o fim da isenção dos EUA ao aço/alumínio

A Comissão Europeia “tomou nota” hoje da decisão do Governo norte-americano de prolongar a isenção tarifária às importações europeias de aço e alumínio e avisou que a União Europeia “não negociará sob ameaça.”

“A decisão dos EUA prolonga a incerteza dos mercados, que já está a afetar as decisões das empresas”, criticou o executivo da comunidade europeia em comunicado hoje divulgado.

A comissão defende que os seus Estados membros devem gozar de uma isenção “total e permanente”, uma vez que as medidas que a administração dos EUA ameaça aplicar “não podem ser justificadas com base na identidade nacional”.

Neste contexto, a Comissão recordou que “o excesso de capacidade nos setores do aço e do alumínio não é originário da União Europeia (UE)”, mas “pelo contrário, a UE comprometeu-se nos últimos meses, a todos os níveis possíveis com os EUA e outros parceiros, a encontrar uma solução nesta matéria.”

Bruxelas também enfatizou que “continuamente” a União tem mostrado abertura para abordar todas as questões sobre o acesso ao mercado de interesse de ambas as partes, mas também deixou claro que, como parceiro e amigo dos Estados Unidos, “não vai negociar sob ameaça”.

“Qualquer futuro programa de trabalho transatlântico deve ser equilibrado e mutuamente benéfico”, acrescentou naquele comunicado.

O executivo acrescenta que a Comissária Europeia do Comércio, Cecilia Malmstrom, esteve em contacto nas últimas semanas com o Secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, e com o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e que esses contactos “vão continuar”.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, adiou a imposição de tarifas sobre aço e alumínio na segunda-feira para os países da União Europeia, México e Canadá.

As controversas tarifas de 25% sobre o aço e 10% sobre o alumínio entraram em vigor em 23 de março, mas a administração Trump isentou temporariamente alguns de seus principais aliados para negociar acordos comerciais paralelos para conseguir uma redução nas importações desses produtos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

UE avisa que não negoceia sob ameaça o fim da isenção dos EUA ao aço/alumínio