UE vai ter acesso a metais raros da Gronelândia

A União Europeia (UE) assina, em junho, o primeiro acordo comercial com a Gronelândia, possibilitando aos 27 Estados-membros o acesso a matérias-primas como os metais raros, noticiou a agência Efe, citando o comissário europeu da Indústria.

A UE carece de matérias-primas, que importa dos países latino-americanos, de África e do Médio Oriente. Uma das maiores riquezas da Gronelândia são os metais raros, considerados estratégicos para a indústria europeia, especialmente para o fabrico de produtos tecnológicos como telemóveis e computadores.

A China concentra 95% da produção de metais raros, uma vantagem que tem explorado, levando a que vários dos seus parceiros comerciais, incluindo a União Europeia e os Estados Unidos, tenham apresentado queixas na Organização Mundial do Comércio pelas restrições impostas à sua exportação.

Através do acordo com a UE, sob a presidência rotativa da Dinamarca até ao fim de junho, a Gronelândia, região autónoma dinamarquesa, procurará modernizar a sua economia, em boa parte dependente da pesca, com um maior acesso à tecnologia europeia.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de